Alimentação saudável ajuda a prevenir câncer

Inclua em sua dieta alimentos antioxidantes como a berinjela e os ovos

None

por Redação Alto Astral
Publicado em 08/04/2016 às 12:30
Atualizado às 21:03

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Para muitos especialistas, o câncer é considerado o grande mal de saúde a se enfrentar na era moderna. Uma doença que atinge pessoas de diferentes idades e estilos de vida e que tem na predisposição genética um importante fator desencadeador, embora não seja o único – pesquisadores apontam que até mesmo aspectos emocionais podem influenciar em seu desenvolvimento. Sendo assim, é mais do que recomendada a escolha por uma dieta que contenha alimentos antioxidantes, categoria na qual se encontra a berinjela.

Alimentação saudável ajuda a prevenir câncer

Foto: Thinkstock/Getty Images

Estrago radical

A ação do câncer está diretamente ligada ao papel dos radicais livres, moléculas que são naturalmente produzidas pelo corpo durante o metabolismo do oxigênio, indispensável para a vida. O problema se dá quando o número de radicais livres no organismo excede a cota com que o corpo é capaz de lidar, o que eleva os riscos de doenças como câncer, artrite, artrose, aterosclerose (entupimento das artérias) e, como se não bastasse, potencializa os efeitos trazidos pela idade.

O organismo, em situação normal, produz condições específicas para proteção contra danos às células causadas por radicais livres, pois captam e neutralizam seu excesso. Antioxidantes são substâncias capazes de liberar um elétron para um radical livre, o que neutraliza este radical. Nosso organismo possui a capacidade de produzir seus próprios antioxidantes, entretanto, não são todos os antioxidantes necessários que ele irá produzir“, descreve a nutricionista Greice Caroline Baggio.

+ Café contra o câncer
+ Dez dúvidas comuns sobre câncer de mama

A solução para dar ao organismo o poder antioxidante que ele tanto necessita está nos alimentos, sobretudo quando eles contêm potencial antioxidante e anti-inflamatório. “Na última década, os fitoquímicos (compostos bioativos presentes nas frutas e vegetais) vêm sendo largamente estudados pela sua ação protetora e antioxidante. Diferentes estudos mostram a relação inversa entre o consumo de uma alimentação rica em frutas e vegetais e a ocorrência de doenças crônicas não transmissíveis“, diz a nutricionista Luana Vasconcelos.

A berinjela, mais especificamente, conta em sua casca com importantes fitoquímicos, as antocianinas – por sinal, as mesmas substâncias que também fazem bem ao coração, por prevenirem a oxidação do colesterol LDL. Portanto, se você ainda torce o nariz quando ouve falar em berinjela, aí vai mais um argumento para que você reveja seus conceitos.

Uma vida antioxidante

Como explica a nutróloga Tamara Mazaracki, é impossível conter a ação dos radicais livres, somente minimizá-la: “Eles são produzidos pelo nosso metabolismo normal, são um subproduto da atividade das células e da oxidação de gorduras, os chamados fatores internos“. No entanto, a nutróloga destaca que o perigo não se encontra somente dentro do corpo: “A fumaça do cigarro, monóxido de carbono do escapamento de carros, estresse, exercício intenso e exposição solar excessiva são os fatores externos“. Ou seja, uma rotina de vida com hábitos mais saudáveis faz muita diferença para a prevenção.

Outros alimentos anticâncer

Ovos: seu potencial antioxidante está na zeaxantina e na luteína.

Frutas vermelhas: assim como a berinjela, apresentam antocianinas.

Salmão, sardinha e atum: são peixes ricos em ômega 3, agente antioxidante.

Nozes, castanhas e amêndoas: outras boas fontes de gordura ômega 3.

Espinafre e rúcula: vegetais verde-escuros proporcionam ácido fólico.

Laranja, limão e kiwi: as frutas cítricas e outras fontes de vitamina C são muito bem-vindas.

Brócolis: seu segredo está na presença da substância sulforafano.

Alerta!

O câncer é um problema sério que, quando diagnosticado, precisa ser enfrentado com tratamento apropriado – a alimentação funciona apenas como um suporte. E são dois os tipos de tratamento: o local (cirurgia e radioterapia) e o sistêmico (quimioterapia, hormonioterapia e imunoterapia). “É muito comum que um câncer seja tratado com cirurgia e, depois de curado, o paciente seja submetido a um tratamento preventivo da linha sistêmica, como a quimioterapia, ou mesmo a radioterapia. tudo vai depender da necessidade e dos benefícios para o paciente“, esclarece o oncologista Leandro Ramos.

Em qualquer parte do corpo que o câncer ocorra, o diagnóstico precoce é fundamental para aumentar as chances de sucesso na cura – daí a importância dos exames de mama (para as mulheres) e de próstata (para os homens), por exemplo. A escolha do melhor tratamento leva em conta o tamanho do tumor e a presença ou não de metástase, que é o nome dado ao processo em que as células tumorais se espalham pela área ao seu redor (ou até mesmo longe do ponto de origem do câncer).

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.