Alerta na gravidez: o consumo de bebidas alcoólicas causa problemas não só na gestante, mas também no bebê

Fique alerta na gravidez e não consuma bebidas alcoólicas. Além de trazerem danos à sua saúde, elas podem prejudicar a criança até a idade escolar

None
Foto: iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 06/10/2017 às 12:16
Atualizado às 13:46

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Preocupada com a incidência de problemas nas grávidas adeptas da bebida alcoólica, a Sociedade de Pediatria de São Paulo lançou o livro Efeitos do álcool na gestante, no feto e no recém-nascido como forma de alerta na gravidez. “Podemos afirmar que nenhuma quantidade de bebida alcoólica consumida durante a gravidez é considerada segura. Mesmo antes de a mulher saber que está grávida, o consumo do álcool pode lesar o feto. Os problemas podem ser desencadeados desde as primeiras semanas de gestação”, alerta o médico Clóvis Francisco Constantino, presidente da entidade.

Alerta na gravidez

“Trata-se de um problema de saúde pública. Queremos alertar as mulheres, gestantes e toda a sociedade médica sobre a gravidade dessa situação. Também queremos sensibilizar o poder público no sentido de legislar para que essas advertências venham nos rótulos das bebidas alcoólicas”, afirma o médico Clóvis Francisco Constantino.

Consequências

A principal entre as grávidas é a Síndrome Alcoólica Fetal (SAF), considerada uma das doenças com maior comprometimento neuropsiquiátrico em bebês de mulheres que beberam na gestação.

Nos Estados Unidos, estima-se que de 6 mil a 18 mil crianças nascem por ano com a SAF. No Brasil, estima-se que, a cada ano, possam surgir de 1,5 mil a 3 mil novos casos.

No período pré-natal, os danos podem acontecer em todas as fases:
1º trimestre: tem o risco de malformações e dismorfismo facial.
2º trimestre: há o aumento da incidência de abortos espontâneos.
3º trimestre: o álcool lesa outros tecidos do sistema nervoso (o cerebelo, o hipocampo e o córtex pré-frontal).

Outras consequências são o atraso no crescimento e o comprometimento do parto, com o aumento dos riscos de infecções, descolamento da placenta, trabalho de parto prematuro, etc.

Os especialistas ressaltam ainda que os efeitos do consumo de álcool não se manifestam apenas na primeira infância.

Os problemas cognitivos podem surgir em idade escolar e comprometer o desempenho profissional e a vida social, em qualquer faixa etária.

LEIA TAMBÉM

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.