ESTILO DE VIDA

Álcool na adolescência pode prejudicar o cérebro?

Segundo pesquisa realizada na Finlândia, é possível que consumir álcool desde a juventude pode gerar consequências no cérebro, quando adulto. Confira!

None
Foto Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 03/01/2017 às 12:11
Atualizado às 13:01

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Uma pesquisa feita pela Universidade da Finlândia Oriental afirma que SIM. Por meio de exames de ressonância magnética foi possível analisar o cérebro de adultos saudáveis que desde a adolescência já exageravam nas copadas de cerveja. A ideia era comparar essas avaliações com as de outro grupo, composto por voluntários que consumiam pouco álcool.

Amigos, brindando, cervejas, lazer, felizes, divers„o

Foto: Shutterstock.com

O estudo durou 10 anos, com testes feitos em 2005, 2010 e 2015. Na primeira etapa, os pacientes tinham entre 13 e 18 anos de idade e apresentavam bom desempenho acadêmico além de não manifestarem qualquer tendência a transtornos mentais. Mesmo que bebessem bastante, ninguém foi diagnosticado com alcoolismo.

Bebida alcoolica, barril, cerveja, cevada, garrafa, copo, caneca

Foto Shutterstock.com

Os cientistas descobriram que a turma que abusava do álcool desde a juventude exibia um volume menor em duas partes do cérebro: o córtex cingulado anterior e a ínsula. Mudanças nessas estruturas podem causar um descontrole no uso de drogas e também uma sensibilidade reduzida aos efeitos negativos do álcool. Ou seja, a chance de se tornar uma pessoa dependente é muito maior.

Na juventude

Segundo os pesquisadores, é justamente na adolescência que essas regiões da massa cinzenta estão se desenvolvendo — e o álcool afetaria essa maturação. Mas eles não sabem ainda o mecanismo por trás das alterações, embora afirmem que elas podem ser reversíveis caso o consumo de álcool seja reduzido significativamente.

Leia também: