ESTILO DE VIDA

Adoçantes: conheça os tipos mais comuns, suas vantagens e desvantagens

Em busca de uma alimentação mais saudável, muitos optam pelos adoçantes. Mas, afinal, você conhece os tipos existentes? Saiba mais sobre eles!

None
Foto Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 23/08/2016 às 19:48
Atualizado às 20:59

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

O açúcar refinado é, assim como o sal, um vilão para a saúde. Então, em busca de uma alimentação mais saudável e, por que não, perder alguns quilos, muitos optam pelos adoçantes. Mas, afinal, você sabe o que está colocando em sua mesa? Confira!

Açúcar, doce, colher

Foto iStock.com/Getty Images

Artificiais

  • Aspartame
    Características: no organismo, ele é convertido em três substâncias, que são “partes” comuns a outros alimentos. Quando sujeito a temperaturas elevadas, perde o poder adoçante e é facilmente solúvel em líquidos quentes. Adoça 200 vezes mais que o açúcar e fornece 4kcal por grama.
    Vantagens: é benéfico para o controlo de peso.
    Desvantagens: “o seu consumo é contraindicado em situação clínica de fenilcetonúria. Diversos estudos sugerem uma associação com o aumento do risco de câncer, nomeadamente tumor cerebral, linfomas ou leucemia e reações alérgicas. Também está associado à doença de Alzheimer e de Parkinson”, explica a nutricionista Mariana Taranto.
  • Sacarina
    Características: não pode ser metabolizada pelo corpo. Adoça 300 vezes mais que o açúcar e não fornece calorias ao organismo. Também é estável a temperaturas elevadas.
    Vantagens: esse tipo de adoçante é considerado seguro para o organismo humano.
    Desvantagens: apresenta consumo contraindicado em situações clínicas de hipertensão e doença renal. “Estudos sugerem que pode estar associado ao desenvolvimento de câncer da bexiga”, complementa Mariana.
  • Sucralose
    Características: proveniente da cana de açúcar, é totalmente excretado pelo corpo. Adoça 600 vezes mais que o açúcar e, assim como os demais, não fornece calorias. É resistente a temperaturas elevadas.
    Vantagens: não produz cáries e ainda não apresenta efeitos teratogênicos, de toxicidade ou carcinogenicidade.
    Desvantagens: de acordo com a nutricionista Mariana, essa versão não apresenta desvantagens em relação ao consumo.

Saiba mais:

3 saladas nutritivas que combatem excesso de açúcar no sangue

Açúcar e sal: quanto consumir?

Para adoçar a vida: conheça os tipos de açúcar

Naturais

estevia

Foto Shutterstock.com

  • Estévia
    Características: é extraído da planta da Stévia rebaudiana e tem leve sabor amargo. Também é absorvido pelo corpo, mas é totalmente excretado. Adoça 300 vezes mais que o açúcar e não fornece calorias. É estável a temperaturas elevadas.
    Vantagens: estudos sugerem efeitos anti-hiperglicêmico, anti-hipertensor, antitumoral, antidiarreico, diurético e ação imunomoduladora. Não favorece a formação de cáries nem apresenta toxicidade.
    Desvantagens: não possui desvantagens.
  • Frutose
    Características: naturalmente, esse adoçante pode ser encontrado nas frutas, produtos agrícolas e mel. É solúvel em água e conserva o sabor doce quando submetido ao calor.
    Vantagens: existem alguns argumentos a favor da utilização da frutose na alimentação de diabéticos. Por exemplo: independência em relação à insulina no seu transporte, distribuição e metabolismo; absorção mais lenta comparativamente à glicose; aumentos mínimos e transitórios da glicemia após a sua absorção; efeito anti-cetogênico.
    Desvantagens: a frutose pode comprometer a absorção de minerais; estudos comprovam que o seu uso por tempo prolongado dificulta a absorção do cobre, o que traz implicações na síntese da hemoglobina. Alguns estudos indicam ainda que os produtos resultantes do seu metabolismo podem estar envolvidos nas complicações vasculares, renais e oculares da Diabetes Mellitus.