Existem 9 sintomas do infarto que você não conhecia. Entenda!

Os sintomas do infarto podem ser diferentes para cada pessoa, devido a fatores como a idade, sexo, ou a ocorrência de doenças cardiovasculares

None
Por serem diferentes do conhecido incômodo na região toráxica, tais sintomas podem passar despercebidos e acabar sendo fatais à vítima do infarto. FOTO: Shutterstock Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 08/09/2017 às 07:00
Atualizado às 14:02

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quando falamos em sintomas do infarto, a primeira coisa que vem à cabeça são as conhecidas dores no peito, que podem refletir em outras partes do tórax, nos ombros, pescoço, costas e braços, principalmente o esquerdo. Contudo, nem todas as pessoas apresentam os mesmos sinais, o que muitas vezes dificulta o diagnóstico precoce do quadro.

Entendendo o problema

O miocárdio (músculo cardíaco) é irrigado pelas artérias coronárias, que disponibilizam oxigênio para que ele possa funcionar corretamente, ejetando o sangue para fora do coração. Quando essas artérias entopem – devido ao acúmulo de gordura ou colesterol nas paredes das mesmas -, o fluxo sanguíneo é interrompido, e se não for restaurado em pouco tempo, provoca a morte do tecido, ocasionando assim o infarto do miocárdio, mais conhecido como ataque cardíaco.

9 sinais pra ficar atento

Como dito anteriormente, os sintomas do infarto variam em cada pessoa. Os grupos mais propensos a apresentarem sinais distintos dos convencionais são os diabéticos, os idosos e as mulheres. Por isso, selecionamos aqui 9 principais sintomas que, apesar de incomuns, podem ser indicativo de um ataque cardíaco. Caso você tenha casos de infarto na família ou seja portador de alguma deficiência cardiovascular, vale ficar atento a qualquer um dos sinais abaixo, principalmente se persistirem por mais de 20 minutos. Os sintomas são:

  • Ansiedade descontrolada;
  • Dores na garganta;
  • Indigestão;
  • Refluxo;
  • Sensação de gastrite e de obstrução da garganta;
  • Tosse seca;
  • Vômitos.

Texto: João Paulo Fernandes/Colaborador

LEIA TAMBÉM

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.