7 melhores alimentos contra Alzheimer

Perda de memória recente, dificuldade em encontrar palavras e alterações no comportamento podem ser sinais de que algo não vai bem com a saúde mental –

None

por Redação Alto Astral
Publicado em 23/04/2016 às 06:30
Atualizado às 21:03

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Perda de memória recente, dificuldade em encontrar palavras e alterações no comportamento podem ser sinais de que algo não vai bem com a saúde mental – são indícios comuns nos portadores de Alzheimer, de acordo com a Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAz). “Trata-se de uma doença neurodegenerativa ainda sem causa definida que afeta as funções cognitivas (como memória, atenção e linguagem). Os sintomas se instalam vagarosamente e aumentam com o tempo”, explica o neurologista Daniel Schachter.

O Alzheimer atinge, principalmente, os idosos e, apesar de não existir consenso sobre sua prevenção, envelhecer com saúde já é um passo importante para retardar a degeneração celular. E uma das medidas que podem ser tomadas é quanto a alimentação. Conheça alguns dos alimentos que auxiliam na manutenção da saúde cerebral.

7 melhores alimentos contra Alzheimer

FOTO: Shutterstock

FEIJÃO

Além de ser fonte de fibras e proteínas, o ingrediente abriga duas substâncias capazes de favorecer a saúde cerebral – o ácido fólico e o triptofano. A primeira substância atua no desenvolvimento do sistema nervoso do feto e, por isso, é indispensável no cardápio das futuras mamães. Já a segunda é responsável pela produção de serotonina, um neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar.

AZEITE

É fonte de um componente chamado hidroxitirosol, que age contra a degeneração dos neurônios e, consequentemente, retarda o envelhecimento cerebral – ação semelhante a das gorduras boas presentes no ingrediente. Além disso, os ácidos graxos monoinsaturados presentes no alimento são essenciais para a formação de uma membrana responsável pela velocidade com que as informações são passadas de uma célula para outra – a nutrição adequada dessa membrana melhora o aprendizado e a memória.

SALMÃO

Um estudo realizado pela Columbia University, nos Estados Unidos, publicado na revista científica Neurology comprovou que o consumo de alimentos ricos em ômega 3 – caso do salmão – está associado à diminuição dos níveis da proteína beta-amoloide no sangue (substância que pode estar ligada ao aumento dos riscos de desenvolvimento do Alzheimer). “O consumo regular de ômega 3 auxilia na melhora da concentração, da memória, do aprendizado, da motivação, do humor, da velocidade de reação, a neutralizar o estresse e a prevenir doenças degenerativas cerebrais, como Alzheimer e Parkinson“, indica a nutricionista Dominique Horta Buim.

SAIBA MAIS

Conheça a doença e o papel da família
Alimentação na terceira idade
Receita de salmão

UVA ROXA

Cerca de dois copos de suco de uva integral por dia proporcionam efeitos positivos na capacidade neurológica. Isto acontece porque os polifenóis encontrados na uva agem sob o tecido nervoso e ajudam a prevenir a neurodegeneração e a inflamação no tecido cerebral. Além disso, uma pesquisa feita no Instituto Salk, na Califórnia, nos Estados Unidos, mostrou que a fisetina, presente na uva, ajuda a melhorar a memória.

CASTANHA-DO-PARÁ

É fonte de selênio, um nutriente importante para a saúde cerebral. Estudos comprovam que quando esse mineral está em falta no organismo é possível perceber uma redução na capacidade cognitiva, principalmente em idosos, já que sua carência está ligada a distúrbios na atividade dos neurotransmissores. Uma dica é turbinar a alimentação com um mix de castanhas. Quando ingeridas regularmente – mas sem excesso, já que três unidades de cada é o ideal – ajudam a blindar o organismo contra a ação dos radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento precoce e pela degeneração celular.

7 melhores alimentos contra Alzheimer

FOTO: Shutterstock

OVO

Fácil de ser encontrado e preparado, é fonte de diversos nutrientes e, por isso, atua em diversos aspectos da saúde, inclusive no cérebro. As vitaminas do complexo B, por exemplo, são essenciais para o sistema nervoso, já que agem na memória e na concentração. “Já o ômega 3 tem ação anti-inflamatória geral, atuando a nível celular – o tipo de inflamação que pode predispor doenças degenerativas”, afirma a nutróloga e médica ortomolecular Tamara Mazaracki. Além disso, a profissional recomenda que o alimento seja consumido por estudantes no café da manhã, já que favorece o aprendizado.

MORANGO

Assim como outras frutas vermelhas, o morango é indicado para blindar a memória já que possui substâncias importantes que atuam no combate ao envelhecimento precoce, ao estresse oxidativo e às inflamações. “A fisetina, presente nessas frutas, estimula a área do cérebro responsável pela memória de longo prazo e protege o órgão de doenças degenerativas, como o Alzheimer e a esclerose múltipla“, indica a nutricionista Karolinne Hartung.

Consultoria: Daniel Schachter, neurologista do Hospital São Vicente de Paulo (RJ); Dominique Horta Buim, nutricionista; Tamara Mazaracki, nutróloga e médica ortomolecular; Karolinne Hartung, nutricionista.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.