ESTILO DE VIDA

Ansiedade: tire todas as suas dúvidas sobre o tema

A ansiedade é bastante comum, mas muitas dúvidas ainda a rodeiam. Confira 6 perguntas e respostas e tire suas dúvidas sobre ansiedade.

None
Foto iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 11/08/2016 às 21:04
Atualizado às 21:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

A ansiedade, apesar de ser vista somente no mau sentido, também tem seu lado bom. Em seus níveis normais, deixa o indivíduo em estado de alerta, evitando que ele seja surpreendido em situações de risco. “O problema é quando ela vai para um nível exagerado”, destaca o psicólogo João Alexandre Borba. O principal indício de que ela está exagerada é quando o comportamento e o convívio do indivíduo passa a ser alterado. Como o problema ainda gera muitas dúvidas, desvendamos 6 questões sobre ele.

Mulher, morena, linda, estressada

Foto iStock.com/Getty Images

1. Bebidas alcoólicas aliviam o problema?

Não. Além de não resolverem, podem levar a uma dependência alcoólica.

2. Internet, celular e outras tecnologias contribuem para a ansiedade?

Sim. Estudos comprovam que computador, celular e outros aparatos tecnológicos podem levar à dependência, tornando a pessoa ansiosa na falta do objeto.

3. Toda pessoa tímida é ansiosa?

Não. “Timidez não tem nada a ver com ansiedade, uma pessoa pode ser tímida e não ficar ansiosa para nada. Como dito, o problema tem relação com o pensamento frente à situação”, explica o psicólogo José Roberto Palcoski. Se o indivíduo pensa que falar com alguém poder ser frustrante, humilhante ou algo parecido, fica ansioso temendo se sentir dessa forma, mas não somente por ser tímido.

4. Ansiedade e medo são a mesma coisa?

Mão de homem com bolas anti-stress

Foto iStock.com/Getty Images

“Não, apesar de apresentarem sintomas corporais bastante parecidos. A ansiedade tem mais a ver com o pensamento e o medo se refere à proteção da vida”, responde José Roberto.

5. É um problema genético?

Pode existir um fator genético, mas não é determinante para o desenvolvimento do transtorno de ansiedade. “Para isso, é necessário um ambiente que corrobore”, complementa o especialista.

6. É sempre necessário procurar um psicólogo?

Uma consulta com o especialista torna-se fundamental caso outro profissional de saúde encaminhe o paciente; quando os familiares ou amigos sugerem a avaliação de um especialista ou quando os sintomas da ansiedade estão atrapalhando as atividades diárias ou o bem-estar.

Saiba mais:

Aprenda como usar o estresse a seu favor

7 pedras que podem te auxiliar a alcançar o bem-estar

Meditação no trabalho: é possível. Confira dicas!

Consultoria José Roberto Palcoski, psicólogo 

TAGS