ESTILO DE VIDA

5 sugestões de atividades físicas para quem não gosta de academia

Quem não gosta de academia não tem mais desculpas! Confira 6 sugestões de atividades prazerosas e escolha a que mais combina com você.

None
Foto Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 06/09/2016 às 18:36
Atualizado às 20:58

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quem não gosta de academia não tem mais desculpas: existem diversas atividades que, além de tornear o corpo e colaborar para a perda de peso, melhoram o bom humor e a saúde em geral. Confira 6 sugestões de atividades prazerosas e escolha a que mais combina com você!

mulher caminhando na praia

Foto Shutterstock.com

Bicicleta

Pedalar favorece o condicionamento físico, ajuda o metabolismo a trabalhar constantemente (queimando calorias a todo vapor), apresenta baixo impacto para joelhos e articulações, reduz o estresse e fortalece pernas e bumbum.
Gasto calórico: de 300 a 600 calorias a cada 50 minutos, dependendo da intensidade.
Frequência: as iniciantes devem pedalar até três vezes na semana. Já as mais avançadas podem andar de bicicleta todos os dias, desde que não exagerem nem prejudiquem a musculatura.
Melhor horário: se for ao ar livre, no início da manhã (antes das 10h) ou no final da tarde (após às 16h).

Caminhada

A atividade promove a eliminação de toxinas pelo suor, perda de peso, aumento da disposição, produção de endorfina e diminuição do estresse. Com isso, você fica menos ansiosa e não desconta as emoções nos alimentos.
Gasto calórico: entre 400 e 500 calorias a cada 50 minutos.
Frequência: para as iniciantes, o ideal é caminhar três vezes na semana. Para quem já faz exercícios físicos, o recomendado é de cinco a seis vezes.
Melhor horário: depende de cada pessoa. Lembre-se apenas de ter cuidado ao caminhar no período entre 10h e 16h por causa da exposição excessiva ao sol.

Pilates

É um método que utiliza o peso do próprio corpo na execução dos exercícios e virou febre nas academias de todo o país. O pilates melhora a postura, tonifica a barriga, os glúteos e as coxas, alivia o estresse e dores crônicas, estimula o sistema circulatório e oferece mais flexibilidade.
Gasto calórico: de 250 a 500 calorias, dependendo do nível da aula.
Frequência: fazendo pilates duas vezes por semana já é possível perceber os resultados. Para as pessoas que estão no nível avançado, pode-se fazer três ou mais vezes.
Melhor horário: como os movimentos concentram-se muito no abdômen, o recomendado é praticar o pilates longe das refeições.

Mulher, senhora, branca, loira, linda, sorrindo, fazendo pilates

Foto iStock.com/Getty Images

Jump

A aula é realizada em uma cama elástica pequena, onde os movimentos são similares ao pulo. O jump melhora a circulação sanguínea, fortalece pernas, bumbum e abdômen, além de favorecer o condicionamento físico e ajudar no emagrecimento.
Gasto calórico: cerca de 300 a 600 calorias a cada 60 minutos.
Frequência: as iniciantes devem fazer a aula duas vezes por semana, em dias alternados. Já para quem pratica exercícios há mais tempo, é recomendado até três vezes, também alternando os dias.
Melhor horário: como a atividade mexe bastante com todo o corpo, o ideal é que ela seja realizada depois de comer algo leve e nunca após o almoço ou jantar.

Saiba mais:

Memória e atividade física são grandes aliadas. Veja por quê

Pilates: criança também pode praticar!

Os melhores exercícios físicos para cada necessidade

Hidroginástica

A ginástica na água melhora o condicionamento e a coordenação física, dá mais força, agilidade e resistência muscular, favorece a flexibilidade e reduz o estresse. É um excelente exercício para secar os quilinhos extras e combater a osteoporose sem agredir as articulações.
Gasto calórico: cerca de 300 a 400 calorias, dependendo da intensidade.
Frequência: inicialmente, pode-se fazer a atividade três vezes por semana. Quando alcançar um nível mais avançado, recomenda-se aumentar para todos os dias.
Melhor horário: pode ser praticada em qualquer momento do dia. Mas quem sofre de algum distúrbio do sono deve evitar a hidroginástica no período da noite.

Texto Jacque Lopes | Consultoria Raphael Gomes, fisioterapeuta e personal trainer; Danilo Simões, professor de jump; Paulo Machado, professor de Mat Pilates; Maicon Reis, professor de hidroginástica