Cérebro: confira 5 mitos e verdades sobre o órgão

O cérebro intriga a ciência pela sua complexidade. Apesar de alguns mitos e verdades terem sido investigados, ainda há muito o que descobrir sobre o órgão.

None
FOTO: Shutterstock Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 11/08/2016 às 19:39
Atualizado às 16:03

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

O cérebro é cinza? Só usamos 10% da capacidade dele? Há muita coisa que o senso comum diz sobre o cérebro que não é verdade. Está na hora de desvendar um pouco mais sobre o mais misteriosos órgão do corpo humano. Veja a seguir em 5 mitos desvendados.

1. O cérebro é cinza

MITO. É muito comum as pessoas se referirem ao órgão como “massa cinzenta”. Mesmo que essa expressão já tenha caído no gosto popular, ela não condiz com a realidade, afinal, o órgão não apresenta nenhuma tonalidade de cinza. “Ele tem um tom mais rosado devido à sua irrigação sanguínea”, explica o neurologista Fabio Sawada Shiba. A propósito, você sabia que 20% do sangue do nosso organismo destina-se ao cérebro?

2. Utilizamos o cérebro 24h por dia

VERDADE. Pois é, nem mesmo nas suas mais tranquilas noites de sono, o suas atividades cerebrais param de funcionar. O sono é dividido em quatro fases distintas e, ao longo de cada uma delas, o órgão varia seu grau de funcionamento, emitindo ondas mais lentas com o passar do tempo. De acordo com o neurocirurgião Koshiro Nishikuni, é durante o sono que o cérebro acessa, organiza e consolida a memória.

menino-cérebro.jpg

FOTO: Shutterstock Images

3. Utilizamos apenas 10% da nossa capacidade cerebral

MITO. Essa ideia parece ser muito tentadora, pois podemos imaginar que desenvolveríamos ainda mais a nossa inteligência. Porém, essa história não passa de pura lenda. Se esse índice corresponder às regiões cerebrais, um simples abrir e fechar de mãos, por exemplo, ativa bem mais do que um décimo de todo o cérebro.

Também é fácil contestar se a relação se der com o número de células do órgão. Quando uma delas deixa de ser utilizada, ela morre e dá lugar a outras várias, que assumem suas funções. Dessa forma, 10% é uma taxa muito ínfima frente a toda a potencialidade do cérebro.

4. Lesões cerebrais são permanentes

DEPENDE. Segundo Koshiro, depende da quantidade e da localização do dano. Se acontecer em uma área não muito importante do cérebro, as sequelas não serão tão grandes e, com o tempo, podem ser revertidas.

Mas, se a lesão ocorrer em um local importante, pode ser irreversível. A permanência ou não do dano depende também de uma capacidade do cérebro chamada neuroplasticidade, em que as células são capazes de se adaptar ao meio, resultando em uma possível recuperação do órgão.

5. Mulheres e homens apresentam tipos de cérebro diferentes

VERDADE. Ainda durante a vida intrauterina, começa a diferenciação. Fisiologicamente, há uma diferença de um quilo entre os cérebros feminino e masculino, mas, na prática, isso não influencia no funcionamento do órgão.

De acordo com o neurocirurgião Koshiro Nishikuni, o hormônio masculino, chamado testosterona, atua no maior desenvolvimento do lado direito do cérebro, área responsável pela consciência visual, cálculos e coordenação motora grosseira; por exemplo, levantar pesos.

Como as mulheres não secretam esse hormônio, o lado esquerdo acaba se desenvolvendo melhor. Por isso, em geral, elas são melhores em situações sociais, em atividades criativas, no uso da intuição e na coordenação motora fina, usada em habilidades minuciosas.

Veja também!

Mitos e verdades sobre a dor de cabeça

Cérebro em foco: conheça doenças que podem prejudicá-lo!

Texto: Andrey Seisdedos/Colaborador e Karina Alonso/Colaboradora – Edição: Giovane Rocha/Colaborador

Entrevistas: Karina Alonso/Colaboradora

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.