ESTILO DE VIDA

Você sabe como cortar o glúten da alimentação? Confira!

Decidiu cortar o glúten do cardápio? No início pode ser assustador, mas a verdade é que existem inúmeras maneiras de fugir dele. Confira 5 dicas!

None
Foto Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 22/09/2016 às 20:37
Atualizado às 20:57

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Cortar o glúten da alimentação, a princípio, assusta. Tantos ingredientes comuns das prateleiras, como farinha de trigo e aveia, e que são matéria-prima de receitas do nosso dia a dia devem ser substituídos. Mas o susto inicial dá lugar a uma sensação de alívio e bem-estar, principalmente para celíacos, que não podem de forma alguma consumir o glúten. E pode ser bem fácil escapar desse problema. Confira!

Farinha de trigo, milho, aveia, farelo

Foto Shutterstock.com

1 – Mude sua rota

A melhor forma de despistá-lo é cortar da alimentação o famoso pão francês e outros alimentos que são desenvolvidos a partir do trigo, da aveia, da cevada e do malte. “A melhor opção para substituir é a tapioca, isenta de glúten, sendo uma excelente opção para o café da manhã ou como pré-treino para atletas de alta performance”, indica Amanda Matos, nutricionista. Para resolver o problema da falta de fibras dessa opção, você pode acrescentar farelo de chia ou linhaça.

2 – Encontre aliados

Sabe aquela farinha de trigo que você usava para tudo? Dá para trocá-la sem problema algum! Polvilho doce ou azedo, fubá, farinha de arroz, amora, amaranto, chia e fécula de batata são algumas das alternativas.

3 – Apague o rastro

Dá para viver sim sem o macarrão e a lasanha tradicional sem perder o sabor. Amanda ensina: “combine a farinha de arroz com a fécula de batata e o polvilho doce. Para quem gostar, a quinoa também pode ser adicionada na mistura”. E tem mais! A nova receita não tem perda nutricional, pois contém fibras e regula o trânsito intestinal.

Leia também:

4 – Atenção aos rótulos!

Apesar de alguns ingredientes originalmente não conterem glúten, é necessário checar sempre se levam ou não o elemento na composição. Durante o processo de industrialização, é possível que haja a contaminação pelo glúten, daí a indicação no rótulo. “No caso do pó de café, ele pode estar misturado com cevada, para aumentar a quantidade na embalagem. Evite tomar café onde você não saiba a marca do produto. Procure os cafés que possuem o selo de pureza da ABIC”, recomenda.

5 – Esteja consciente

Bebidas álcoolicas também podem conter a substância, caso da cerveja e do whisky, originários da cevada e do malte. Para o consumo prefira alternativas isentas de glúten, como: vinho, aguardente de cana, rum, vermute, conhaque e quentão. Mas sempre com moderação, ok?

Consultoria Amanda Matos, nutricionista