ESTILO DE VIDA

Tristeza incomum: conheça 10 sintomas da depressão pós-parto

Entenda como um dos momentos mais importantes na vida de muitas mulheres pode acabar se tornando um momento de melancolia sem explicação. Veja quais são os 10 sintomas da depressão pós-parto

None
Veja 10 sintomas da depressão pós-parto. FOTO: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 29/04/2018 às 17:00
Atualizado às 17:02

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Tudo preparado com carinho para a chegada do bebê: a decoração do quarto, o berço, as roupinhas, mas, sem nenhuma explicação aparente, a nova mamãe se mostra desanimada, irritada e, em casos mais graves, chega a rejeitar o filho. Durante muito tempo a depressão pós-parto foi tratada como loucura. Afinal, o que explica uma mãe ficar triste com o nascimento do bebê? Confira como se dá a doença e 10 sintomas da depressão pós-parto.

Alterações químicas

O principal fator que pode desencadear a depressão após o parto é a alteração no quadro hormonal. “Esta mudança é muito abrupta, como por exemplo no aumento da prolactina que, apesar de ser responsável pela produção do leite materno, é um hormônio depressor”, explica a ginecologista Elisabete Dobao. De acordo com ela, outros fatores que podem ser responsáveis pelo problema são: situação traumática durante o parto, história patológica anterior e as alterações radicais na vida conjugal, familiar, profissional e social. “Todos esses fatores podem levar à depressão, mas em graus variados. Se for grave, é necessário acompanhamento psiquiátrico”, afirma a especialista.

Características e sintomas

Há que se diferenciar a depressão pós-parto (confira no quadro abaixo 10 sintomas da depressão pós-parto), o Baby Blues (Tristeza Materna ou Melancolia da Maternidade) e a Psicose Puerperal. O Baby Blues é mais comum — atinge cerca de 80% das mulheres que sofrem com a doença após o parto — e pode ser definido, grosso modo, como uma depressão de grau leve. Em geral, ocorre a partir da primeira semana após o parto, dura alguns dias ou semanas, e se caracteriza por baixa auto-estima, irritabilidade, choro freqüente, indisposição, insatisfação com relação ao próprio corpo, estranhamento na relação com o cônjuge, etc. Os sintomas do Baby Blues são muito normais após o parto, mas o acompanhamento ginecológico e psicológico é imprescindível. A Psicose Puerperal é mais rara — afeta 0,2% das mulheres — e é grave, necessitando de medicação e tratamento psiquiátrico. Alucinações, delírios, pensamentos desconexos e perda do senso de realidade são algumas das características. Neste caso, não é recomendado o aleitamento materno e o ideal é que outra pessoa, que não a mãe, fique responsável por cuidar do bebê.

Tratamentos

Em geral, nos casos mais leves, essas alterações no humor pós-parto desaparecem espontaneamente, após algumas semanas. No entanto, um acompanhamento ginecológico e psiquiátrico é recomendado. Já nos casos em que a depressão é de grau moderado ou grave é importante iniciar o mais rápido possível um tratamento à base de medicamentos antidepressivos e sessões constantes de apoio psicoterápico. A duração do tratamento varia muito de pessoa para pessoa e depende da evolução da paciente. “É preciso respeitar o diagnóstico clínico de sinais e sintomas”, frisa Dobao.

Texto: Redação Alto Astral | Consultoria: Elisabete Dobao, ginecologista

LEIA TAMBÉM: