ESTILO DE VIDA

10 sinais de alerta para o Alzheimer

Alguns sintomas do Alzheimer podem surgir aos poucos, dificultando o diagnóstico precoce. Veja 10 sinais de alerta para a doença.

None
Foto iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 12/08/2016 às 18:01
Atualizado às 21:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

O Alzheimer é uma enfermidade progressiva e os sintomas vão aparecendo aos poucos, o que pode tornar o diagnóstico preciso ainda mais difícil. Isso porque as mudanças não ocorrem todas de uma vez, elas vão desde o mero esquecimento até a incapacidade mental e motora – podendo chegar à morte. Mas, alguns sinais podem surgir mesmo antes do diagnóstico.

cérebro em formato de quebra-cabeça faltando uma parte

Foto iStock.com/Getty Images

1. Perda de memória

É comum ter alguns problemas de esquecimento às vezes, porém, quando isso se torna regular é preciso procurar por ajuda médica. Fique atento se a pessoa do seu lado esquece acontecimentos do dia a dia, conversas recentes, nomes e rostos familiares, fica frequentemente repetitivo nas rodas de conversa, tem dificuldades com recados e não se lembra de onde guardou objetos.

2. Dificuldades em executar tarefas do cotidiano

Conforme a doença vai avançando, o paciente pode apresentar problemas para lidar com as tarefas do dia a dia, perdendo a autonomia para realizar um trabalho que fazia bem antes, como cozinhar, limpar a casa e até mesmo tomar banho e vestir-se sozinho. Por isso, é importante que a pessoa fique acompanhada de um cuidador.

3. Problemas de linguagem

“O sintoma da alteração da linguagem é quando a pessoa tem dificuldade de evocar nomes, objetos e quando troca as palavras ao se expressar”, afirma o neurologista Custódio Michailowsky. Ela começa a usar palavras em excesso para descrever o que quer, tem problemas com a pronúncia, troca sílabas e pode até inventar palavras ou frases.

4. Alterações de humor e personalidade

Homem, idoso, com dor de cabeça

Foto iStock.com/Getty Images

A pessoa pode apresentar súbitas alterações de humor – da serenidade ao choro ou à angústia – sem apresentar uma razão para tal fato. Eles podem ficar confusos, desconfiados, deprimidos, com medo ou ansiosos.

5. Trocar as coisas de lugar

O paciente pode colocar as coisas em outros lugares e esquecer onde o objeto está, não conseguindo lembrar-se de quando ou onde o viu pela última vez. Às vezes, eles podem até acusar os outros de roubo.

6. Repetir tarefas ou conversas

Como já foi citado anteriormente, quem convive com o Alzheimer apresenta uma perda de memória progressiva. Por isso, é comum repetir tarefas que já foram feitas ou retomar assuntos depois que eles já foram comentados.

7. Dificuldade para planejar-se ou resolver problemas

Algumas pessoas podem perder a capacidade para desenvolver novos projetos, apresentar dificuldades no trabalho, tendo problemas para concentrar-se e levando muito mais tempo para fazer coisas que faziam com facilidade e de forma rápida antes.

8. Discernimento fraco ou diminuído

Mulher, branca, idosa, tentando lembrar

Foto iStock.com/Getty Images

“Pessoas com Alzheimer podem sofrer com dificuldades para organizar-se, planejar e realizar tarefas na sua sequência correta, como ir ao banco, retirar dinheiro, ir ao supermercado, fazer suas refeições e manusear o dinheiro adequadamente”, comenta Custódio.

9. Falta de iniciativa e apatia

De acordo com Custódio, a depressão é um dos sintomas da doença de Alzheimer. Isso porque o indivíduo com transtorno cognitivo desenvolve apatia e se torna recluso. Entretanto, existem estudos mostrando que pessoas que são deprimidas têm uma maior possibilidade de desenvolver doença.

Saiba mais:

Parkinson: saiba mais sobre a doença, seus sintomas e tratamento

Colesterol alto: como diagnosticar e tratar a doença

Arroz integral ajuda a prevenir doenças cardiovasculares

10. Desorientação no tempo e espaço

De acordo com Custódio, o paciente que apresenta indícios de Alzheimer perde a noção de orientação e a capacidade de reconhecer caminhos, lugares comuns e corriqueiros. Ela também pode se perder em locais públicos ou nos arredores de sua casa, além de ter dificuldade em lembrar datas e perceber a passagem do tempo.

Consultoria: Custódio Michailowsky, neurologista