Entrevista com Daniel Rocha

Ator conta como conheceu a namorada durante a preparação para Amor à Vida

Por Redação Papo Feminino - 13/05/2013

Ele ficou conhecido no horário nobre ao interpretar o Roni de Avenida Brasil, e agora, se prepara para voltar à tevê em Amor à Vida, a nova novela das nove que estreia nesta segunda (dia 20). Daniel Rocha falou à Revista Guia da Tevê sobre seu personagem, um médico especialista em oncologia, contou como conheceu sua namorada durante a preparação para a trama e até relembrou o sucesso de seu trabalho anterior. Veja a entrevista:

 

Entrevista com Daniel Rocha

Foto: Gabriel Rangel/AgNews

 

Guia da Tevê: Como é seu personagem na trama?
Daniel:
“Ele se insere na história porque o personagem da Marina Ruy Barbosa, a Nicole, vai ter algum problema com câncer e ele será o médico dela e de todos os pacientes que estão com a doença no hospital.”

Guia da Tevê: Por ser um médico novo, como ele lida com esse campo tão difícil?
Daniel: “Na minha pesquisa de campo, vi que a oncologia é a especialidade que tem mais médicos novos, pois se paga muito bem. E você consegue ser clínico oncológico em três anos só. Você consegue clinicar logo depois. A questão da juventude é que ele tem toda a postura de um jovem e tem que lidar muito próximo com a morte. E ele é um personagem muito perfeccionista, quer sempre curar, salvar as pessoas… Mas ele tem a questão da não experiência na medicina. Mas eu vejo isso de um modo positivo. Eu vou ter que me mudar, por eu ser jovem e conseguir fazer um oncologista jovem.”

Guia da Tevê: Você irá se envolver com a personagem da Marina Ruy Barbosa?
Daniel: “Por enquanto, a gente não sabe. O Walcyr deve saber melhor do que eu. E eu estou com poucas cenas ainda, está muito no começo. Mas acredito que pode acontecer, é uma obra aberta. Vamos ver como o Walcyr vai encaminhar esses dois personagens.”

Guia da Tevê: Mas ele tem casa, como é a vida dele?
Daniel: “Ele entra para cuidar da Marina, mesmo. Já entra nesse núcleo.”

 

Entrevista com Daniel Rocha

Foto: Estevam Avellar/Rede Globo

Guia da Tevê: Você fez Avenida Brasil, que até hoje é comentada. Qual lembrança você tem da novela?
Daniel: “Eu, como ator, fico muito feliz de ter feito Avenida Brasil e um personagem que me influenciou e me melhorou como ser humano. Mas, agora, se depender de mim, eu vou fazer o máximo para Amor à Vida ser como Avenida Brasil, eu foco nisso. Meu personagem é obsessivo por resultados positivos, e eu também. Vou dar o melhor de mim.”

Guia da Tevê: Nesses meses, como foi ficar fora do horário nobre?
Daniel:
“Ficar fora foi bom para fazer teatro, eu estava com uma peça… Mas tive que sair pra fazer a novela.”

Guia da Tevê: Como surgiu o convite para Amor à Vida?
Daniel: “O convite foi assim, me ligaram e falaram ‘Daniel, seu laboratório começa na segunda feira, você está na próxima novela das oito’. Eu disse: ‘como?’. Tomei um susto! Mas eu peguei um final de semana para saber o que eu iria fazer. E já na segunda-feira eu comecei a pesquisa de campo para o personagem. Foi muito surpreendente, muito rápido.”

Guia da Tevê: Como foi sua pesquisa?
Daniel: “Na minha família, meu pai é cirurgião dentista. Eu tenho uma coisa forte com essa coisa de operar e tal. Primeiro, então, eu comecei a observar meu pai. Mas meu personagem não é cirurgião, é clínico. Meu laboratório foi pesquisa de campo. Como ator e jovem, nunca pensei em lidar com a morte tão perto, tão próximo. Então, comecei a frequentar alguns hospitais. Fui ao GRAAC em São Paulo, hospital infantil e também fui no INCA, no Rio de Janeiro. Foi ótimo. Fiquei muito focado no relacionamento médico e paciente, como é a empatia e o tratamento entre eles. E nessa história, eu conheci uma médica, comecei a namorar com ela e a gente está bem e ela tem me ajudado bastante.”

Entrevista com Daniel Rocha

Foto: Matheus Cabral/Rede Globo

Guia da Tevê: Como foi isso?
Daniel: “Ah, fazendo pesquisa de campo, tinha uma menina que vai se formar ano que vem em medicina, a Rafaela. Ela era linda, gente boa e médica (risos)! Estamos juntos há dois meses, tem sido muito bom. Todo mundo tirou um monte de foto nossa, uma hora eu tinha que assumir…”

Guia da Tevê: O quanto a Rafaela já te ajudou?
Daniel: “Ela me ajuda bastante na questão de termos. Fiz laboratório, pesquisa de campo, mas alguns detalhes eu não sei. Aí ela me ajuda, falando para onde tocar, como agir, a postura, como tratar o paciente. Ela tem me ajudado bastante nisso. Mas ela não quer ser especialista em oncologia.”

Guia da Tevê: Ela
lê o texto com você?
Daniel: “Ela lê comigo. Peço para ela ler pra mim para saber como fala os termos. Aí fico prestando atenção.”

Guia da Tevê: Você se emocionou com as histórias nesses lugares que frequentou?
Daniel: “É tudo muito forte, né? É um mundo que eu não estava acostumado. Mas eu me emocionei mais no GRAAC, que eram crianças. Mas foi bom ouvir o quanto elas queriam viver. E tratar do câncer não é só tratar do paciente, também tem a família. E eu me emocionei porque criança não deveria ficar doente, a criança só deveria ser feliz.”

Guia da Tevê: Como é sair de uma comédia, em Avenida Brasil, para esse drama, em Amor à Vida?
Daniel: “Eu acredito que o Roni tinha drama, comédia, tudo num personagem só. Agora, fazer um personagem que lida com a morte, assunto que está na nossa vida o tempo todo, está sendo muito rico pra mim. Estou experimentando novas possibilidades. É bom me desafiar e não ficar só num personagem engraçado, expansivo… Esse personagem me desafia como ser humano e me ajuda a conhecer outros gestos, outras maneiras de interpretação.”