Conheça os efeitos do consumo de crack no organismo

O consumo de crack causa diversos efeitos imediatos e a longo prazo no organismo do usuário. Conheça as principais e suas consequências

None
Uma simples pedra de crack causa efeitos poderosos na mente FOTO HTB/ Photo on flickr.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 06/11/2016 às 08:21
Atualizado às 18:44

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

O consumo de qualquer substância, seja ela lícita ou ilícita, sempre gera efeitos no organismo. A questão é que algumas drogas provocam consequências imediatas e poderosas no usuário, como o crack. Entenda o que ele causa no lado psicológico do usuário.

mão duas pedras crack

Uma simples pedra de crack causa efeitos poderosos na mente
FOTO HTB/ Photo on flickr.com

Efeitos imediatos

Assim que consome a droga, o usuário passa por uma forte sensação de prazer, além de ficar mais alerta, confiante e hiperativo. Nessa etapa, o corpo começa a sofrer estímulos e funcionar com intensa atividade. Passados os efeitos depois de alguns minutos, o usuário se sente deprimido, com vontade de fumar uma nova quantidade do entorpecente, dando início ao vício. Muitos deles não conseguem nem mesmo sair do local onde adquirem a droga, as chamadas cracolândias; a droga é consumida ali mesmo, onde é realizada nova compra.

Uso contínuo

Depois de algumas semanas de uso contínuo de crack, o usuário fica tão inquieto que não consegue parar para descansar e se alimentar, o que pode vir a causar emagrecimento. O alto poder de combustão presente no cachimbo acaba queimando as vias aéreas e ocasionando dificuldades respiratórias.

Efeitos no corpo

No pulmão, a droga ataca e destrói os alvéolos, o que pode facilitar a ocorrência de doenças respiratórias, tuberculose e pneumonia. Em alguns casos mais graves, é possível haver hemorragia local.

Com a droga circulando pelo sangue e pela hiperatividade que ela proporciona, os usuários podem sofrer com o aumento da pressão sanguínea e da frequência cardíaca. Com isso, os riscos de ocorrer infarto são maiores, assim como as chances de desenvolver doenças cardíacas.

O entorpecente também afeta a digestão. Atacando rins e fígado, causa náuseas e a perda de apetite, levando o usuário a comer poucas vezes ao longo do dia.

Uma vez no cérebro, a droga é capaz de atingir as áreas responsáveis pelo pensamento e pelo equilíbrio. O sistema cognitivo é afetado (por isso a fala de um usuário de crack é um pouco mais mole), dificultando atividades como caminhar direito ou pensar logicamente. Os vasos sanguíneos locais inflamam, aumentando a possibilidade de acontecer um acidente vascular cerebral e convulsões.

LEIA TAMBÉM

TEXTO Andrey Seisdedos EDIÇÃO Thiago Koguchi

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.