ENTRETENIMENTO

Terapia cognitivo-comportamental: como funciona e para quem é indicada

Com a parceria entre terapeuta e paciente, a terapia cognitivo-comportamental tem o objetivo de melhorar as ações e os pensamentos do presente e do futuro

None
FOTO: Reprodução/Pixabay

por Redação Alto Astral
Publicado em 02/09/2016 às 15:20
Atualizado às 18:22

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Na terapia cognitivo-comportamental ou TCC, a abordagem baseia-se no papel ativo e colaborativo entre terapeuta e paciente. De acordo com a terapeuta cognitivo-comportamental Cristiane Mellado, “as técnicas utilizadas tanto para resolução de problemas, como para reestruturação cognitiva, visam munir o paciente de estratégias para melhorar sua funcionalidade”. Por isso, a especialista destaca que é muito importante para o terapeuta cognitivo que o paciente perceba o caminho que o levou a melhorar.

cérebro cognitivo

FOTO: Reprodução/Pixabay

Para quem é indicado?

Segundo Mellado, recentes estudos envolvendo a TCC e transtornos emocionais aumentaram as aplicações da técnica que, atualmente, pode ser empregada no tratamento de vários transtornos. Alguns deles são: “depressão, ansiedade, fobias, pânico, TOC (transtorno obsessivo-compulsivo), dependência química, transtornos orgânicos, psiquiátricos, estresse e também dificuldades interpessoais ou de enfrentamentos necessários no cotidiano familiar, profissional e educacional”, cita a terapeuta.

SAIBA MAIS

Terapia lacaniana: entenda como funciona e para quem é indicada

Quebrando tabus sobre terapia: saiba quando recorrer ao tratamento

Texto: Érica Aguiar Edição: Ana Beatriz Garcia Consultoria: Cristiane Mellado, terapeuta cognitivo-comportamental