Sujeito: entenda um dos termos essenciais da oração e suas classificações

Nas orações: "Ouve-se muitas coisas" e "Choveu muito essa noite", qual é o sujeito de cada uma e como devemos classificá-los? Entenda esses e outros casos

None
FOTO: Reprodução/Pixabay

por Redação Alto Astral
Publicado em 31/10/2016 às 08:08
Atualizado às 18:47

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

O sujeito e o predicado são os termos essenciais para que uma oração exista. Ou seja, são os elementos fixos dessa estrutura. O sujeito é o ser de quem se diz algo (ele faz ou recebe a ação) e o predicado é o que se diz desse ser. Assim, uma dica para identificar o primeiro elemento é perguntar ao verbo “quem?”. Por exemplo: Os meninos fizeram a tarefa. O verbo é “fizeram”. Então, quem fizeram? Os meninos. “Meninos” é sujeito da oração.

No entanto, nem sempre é simples assim. Entenda todos os casos:

Tipos de sujeito

Simples: quando possui um único núcleo.
Exemplo: Lupe é um cachorro obediente. (Lupe = núcleo).

Composto: quando possui mais de um núcleo.
Exemplo: Paulo, Luiz e Júlio são irmãos. (Paulo, Luiz, Júlio = núcleos).

livro dicionario palavras óculos sujeito

FOTO: Reprodução/Pixabay

Determinado: quando é possível reconhecer o sujeito da oração mesmo quando ele está implícito. Nessa classificação, podemos englobar também o simples e o composto.

Exemplos: Eduardo e Mônica se casaram. ( Eduardo e Mônica: determinado) / Tínhamos muitos amigos engraçados. (determinado, uma vez que o “nós” está implícito).

Indeterminado: quando não se pode ou não se quer identificar o elemento. O termo será classficado como indeterminado quando o verbo estiver na terceira pessoa do plural e não houver expresso quem fez ou recebeu a ação na oração. Ou quando o verbo na terceira pessoa do singular vier seguido do índice de indeterminação do sujeito “se”.

Exemplos: Entregaram flores para você. (verbo na terceira pessoa do plural, sem sujeito expresso) / Ouve-se muitas coisas. (verbo na terceira pessoa do singular, seguido de “se”).

Inexistente ou oração sem sujeito: quando o fato não se refere a nenhum elemento.

Exemplos: Choveu muito essa noite. (verbo que exprime fenômenos da natureza) / Faz mais de um ano que eles partiram. (verbo fazer, ser, estar indicando tempo transcorrido) / Há muitos livros fora do lugar. (verbo haver no sentido de existir ou indicando tempo transcorrido).

LEIA TAMBÉM

Texto: Redação / Edição: Érika Alfaro