ENTRETENIMENTO

Cientistas descobrem por que algumas pessoas odeiam o som de mastigação

Você faz parte do grupo de pessoas que se irritam com o som de mastigação? Entenda como surge essa fobia e o porquê de atingir boa parte da população

None
Foto: Shutterstock

por Vítor Ferreira
Publicado em 17/10/2017 às 15:53
Atualizado às 15:58

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Cientistas dizem ter descoberto por que algumas pessoas reagem de forma intensa – com emoções que podem beirar o “ódio” – ao som de mastigação de alimentos ou de respiração. A explicação está na misofonia, uma condição marcada por reações intensas a alguns barulhos específicos, bem mais complexa do que o “não gostar” de alguns barulhos.

“Eu me sinto ameaçada e que preciso me debater ou fugir – a resposta é sempre essa, lutar ou fugir”, conta Olana Tansley-Hancock, de 29 anos, que convive com a fobia há mais de duas décadas. Estudiosos britânicos mostraram que os cérebros de algumas pessoas são programados para produzir uma resposta emocional excessiva nessas situações.

Olana desenvolveu a condição quando tinha oito anos. Os sons que a irritam incluem o de respiração, de mastigação e o farfalhar de folhas ou sacos de papel ou plástico. “Qualquer pessoa comendo salgadinho crocante faz com que eu me afaste na hora. O barulho do pacote abrindo já é o suficiente para eu começar a me mexer”, disse ela à BBC.

“Não é qualquer irritação, é algo que me faz dizer imediatamente: ‘Meu Deus, que barulho é esse?’, e aí eu tenho que sair dali ou fazer parar na hora.”

Ela também contou que ficou por anos sem visitar lugares comuns, como shoppings e alguns transportes públicos. “Passei muito tempo evitando diversos ambientes, como o cinema. Em trens, eu tinha que mudar de lugar sete ou oito vezes em menos de 30 minutos. Deixei um emprego após três meses, depois de ficar horas chorando e tendo ataques de pânico”.

Saiba mais sobre a fobia do som de mastigação

E você, também se irrita com o som de mastigação?

LEIA TAMBÉM