Oprah Winfrey faz discurso emocionante contra o racismo e abuso sexual

A apresentadora Oprah Winfrey foi homenageada no Globo de Ouro e fez um discurso emocionante e poderoso sobre a violência contra as mulheres

None
Foto: Reprodução/GettyImages

por Redação Alto Astral
Publicado em 08/01/2018 às 14:39
Atualizado às 15:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Alguns meses depois de Hollywood ter sofrido uma avalanche de denúncias de abuso e assédio sexual, a cerimônia do Globo de Ouro 2018 mostrou que as mulheres atrizes, diretoras e produtoras estão mais unidas do que nunca para exigir igualdade de gênero nas premiações. O discurso emocionante da noite ficou por conta da apresentadora Oprah Winfrey, que subiu ao palco para receber o prêmio Cecil B. De Mille pelo conjunto da carreira. Oprah levou o público às lágrimas e fez uma fala arrebatadora, relembrando os recentes escândalos de assédio sexual, o racismo e a violência contra as mulheres. A apresentadora foi a primeira mulher negra a receber esse prêmio, que é considerado um dos mais relevantes na carreira cinematográfica.

“É óbvio que neste momento haverá alguma menina que vê como sou a primeira mulher negra a ganhar este prêmio. É uma honra e é um privilégio compartilhar a noite com todas elas”, começou Oprah. “Falar a verdade é a ferramenta mais poderosa que temos. Sinto-me inspirada e orgulhosa pelas mulheres que se sentiram fortes para compartilhar suas experiências”, disse. “Obrigada a todas as mulheres que suportaram e suportam anos de assédio. Que, como minha mãe, tinham filhos para alimentar e contas para pagar e sonhos para realizar. São as mulheres cujos nomes nunca escutaremos: faxineiras, agricultoras, cientistas, empresárias, esportistas, militares”, revelou.

Seu discurso emocionante e corajoso também homenageou outra mulher, pouco conhecida no mundo do cinema: Recy Taylor. Em 1944, quando os conflitos raciais continuavam forte nos Estados Unidos, Recy Taylor foi sequestrada por homens brancos armados, que a estupraram. Quando tentou denunciar publicamente o abuso, foi ignorada por dois júris, de maioria branca e masculina. Os abusadores nunca foram condenados, mas Recy seguiu tentando lutar por justiça até o fim de sua vida.

“Chegou a hora. Recy Taylor morreu sem ver isso. Mas o tempo acabou. Só espero que Recy Taylor tenha morrido sabendo que sua verdade serviu, como a de tantas mulheres maltratadas durante estes anos ou que estão sendo maltratadas agora. Ela está presente aqui quando cada mulher diz: ‘Me too’ [em referência a campanha contra o assédio em Hollywood]. E em todos os homens que decidem escutar”, afirmou Winfrey.

“Já entrevistei e representei gente que sofreu muitíssimo na vida. O que essas pessoas têm em comum é manterem viva a esperança de um mundo melhor. Quero que todas as meninas que virem isto saibam que temos um novo dia pela frente. E quando esse dia raiar será graças a mulheres magníficas, muitas das quais estão nesta sala. E homens que vão lutar unidos, para se tornarem líderes e para chegarem a esse momento em que nunca será preciso dizer ‘Me too’”.

Confira o vídeo do discurso emocionante de Oprah Winfrey:

Veja oslooks do Globo de Ouro de 2018:

LEIA TAMBÉM 

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.