Nosso corpo é uma fonte de informações sobre nós mesmos. Confira!

Tudo o que falamos, vestimos e principalmente a forma como agimos em cada situação no cotidiano fornece informações sobre nós às pessoas que nos cercam

None
O ato de cruzar muitas vezes os braços pode indicar que a pessoa está mentindo. FOTO: reprodução/iStock.com e Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 11/10/2016 às 16:14
Atualizado às 18:40

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Se você acha que é só a aparência que vai transmitir alguma impressão sua ao “crush” ou qualquer outra pessoa com a qual você conversa e convive, está enganada. Conforme explica o cientista social Luciano Gomes, todos os seus gestos, o tom de voz e até as roupas vão passar informações suas para quem estiver perto de você. “O corpo fala, expressa o nosso estado de espírito e mostra aquilo que o coração está cheio. As vestes se configuram elemento importante para ler uma pessoa, como acessório do corpo”, acentua Gomes.

mulher, escolhendo roupas, cabides

Até mesmo as roupas que usamos são responsáveis por transmitir informações sobre nós às outras pessoas. FOTO: Reprodução/Shutterstock Images

Percebendo os sinais

O corpo humano se comunica através de sinais inconscientes, de maneira que até mesmo a traição e a mentira podem ser descobertas durante uma conversa. É possível por exemplo, notar quatro atitudes, que em conjunto indicam a mentira. Elas se manifestam caso o indivíduo tente: encostar na sua mão, no seu rosto, cruzar muitas vezes os braços e manter uma postura inclinada para algum lado. “Creio que não há mais fácil ou mais difícil de ser decifrado entre o ser homem e mulher. Entendo que tudo dependerá da espontaneidade de cada pessoa. A pessoa poderá maquiar a realidade devido às nossas relações sociais, porém o corpo nos revela”, explica Luciano Gomes.

homem, terno, gravata vermelha, braços cruzados

O ato de cruzar muitas vezes os braços pode indicar que a pessoa está mentindo. FOTO: reprodução/iStock.com e Getty Images

LEIA TAMBÉM

Texto: Nathália Piccoli Edição: João Paulo Fernandes Consultoria: Luciano Gomes, cientista social