ENTRETENIMENTO

Bíblia: saiba o que o Livro Sagrado diz sobre a figura da mulher

A Bíblia nunca deixou de ser questionada pelas contradições que apresenta como exemplo a figura da mulher e a sua submissão. Saiba mais!

None
FOTO: Shutterstock Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 18/01/2017 às 16:17
Atualizado às 17:20

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quando Voltaire – filósofo iluminista francês do século XVIII – declarou que a Bíblianão sobreviveria cem anos depois à época em que ele viveu, o estudioso estava enganado. Sua declaração dizia que pouquíssimas pessoas recorreriam ao livro, porém, mal sabia ele que por muito tempo os escritos bíblicos seriam procurados constantemente pelas pessoas no mundo todo.

Só que, assim como a crítica de Voltaire, muitas outras surgiram indo além do aspecto da popularidade das sagradas escrituras. Uns chamam de aterrorizantes, outros de contraditórios e exagerados e até de descabidosos fragmentos bíblicos.

bíblia, óculos, figura

FOTO: iStock/Getty Images

Esses são apenas alguns pontos que ao longo do tempo tiveram grande repercussão conforme o pensamento humano ia evoluindo e o comportamento social mudando. Tudo isso foi questionado e, até hoje, não deixou de ser, por exemplo…

A FIGURA DA MULHER

Na lista de assuntos da Bíblia mais questionados, destaca-se o que diz respeito à figura da mulher, já que alguns trechos do livro sagrado deixam implícito que ela teria que desempenhar uma postura submissa ao homem e que casar virgem deveria ser obrigatório.

Para Clélia Peretti, professora da pós-graduação em Teologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, a figura feminina não deixa de ser fortemente retratada nas escrituras bíblicas, contudo, a tradição impôs, durante muito tempo, que o divino era puramente masculino e que o mesmo se estendia aos receptores da palavra divina, os discípulos. Naturalmente, seus continuadores – os padres – deveriam ser homens, com exclusão da mulher. Esta concepção patriarcal legitimava a exclusão cultural e social da metade da natureza humana, completa Clélia.

mulher-figura-rezando

FOTO: Shutterstock Images

A professora ainda pontua que com a descoberta dos manuscritos de Nag Hammadi e de outros textos bíblicos, o valor do feminino do divino emergiram numa condição própria e isso é percebido no Novo Testamento. O que o Novo Testamento nos traz é de fato uma mensagem de libertação e de promoção efetiva da dignidade e das mulheres, sua presença ativa no Reino de Deus”, finaliza.

LEIA TAMBÉM

TEXTO: Redação Alto Astral  EDIÇÃO: Nathália Piccoli

CONSULTORIA:Clélia Peretti, professora da pós-graduação em Teologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná.