Literatura: como o inferno é descrito em A Divina Comédia

Como o inferno é retratado no poema clássico de Dante Alighieri

None
Foto: Shutterstock Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 14/10/2016 às 16:45
Atualizado às 18:42

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Na literatura, a descrição mais famosa do inferno partiu das palavras de Dante Alighieri, em seu clássico A Divina Comédia, escrito no século 14. O Inferno é a primeira das três partes do livro – que contempla também Purgatório e Paraíso. Guiado pelo poeta Virgílio, é por ali que o personagem principal – o próprio Dante – começa sua jornada de nove círculos (mesma divisão vista no Céu).

literatura-inferno

Foto: Shutterstock Images

A cada nível, são castigados os pecados mais graves.
1. Limbo: ali estão aqueles que viveram antes da passagem de Jesus Cristo pelo mundo, os que não foram batizados e os pagãos de boa índole. Suas almas vagam por uma escuridão perpétua. Ao menos, não gritam de dor, apenas suspiram.

2. Vale dos Ventos: lá se encontra Minos, o juiz do inferno, e padecem aqueles que pecaram pela luxúria. Se as paixões os arrastavam como o vento em vida, agora furacões incessantes os atormentam. Entre eles, está Cleópatra, antiga rainha do Egito.

3. Lago de Lama: aqueles que se deixaram dominar pela gula ali vivem imersos na sujeira dos próprios vômitos, atolados e sozinhos em uma lama espessa. Cérbero, o cão de três cabeças da mitologia grega, os persegue sem trégua.

4. Colinas de Rocha: destino de avarentos e gastadores irresponsáveis, cujas riquezas se transformaram em pesadas barras e moedas de ouro, que empurram uns aos outros, em meio a ofensas mútuas. Lá estão Plutão e Fortuna, deuses gregos da riqueza.

5. Rio Estige: os que pecaram pela ira se agridem e se torturam com uma raiva inesgotável. Na lama misturada com sangue ao fundo do rio, sem conseguirem alcançar a superfície, estão os rancorosos, que nunca demonstraram sua ira.

6. Cemitério de Fogo: marca a separação entre os pecados sem intenção daqueles cometidos conscientemente. É onde estão confinados em túmulos abertos e em meio ao fogo eterno os hereges que não acreditaram em Deus ou Jesus Cristo.

7. Vale do Flegetonte: ao longo do Rio Flegetonte e seus vales, são punidos quem cometeu violência contra outros, contra si próprio (os suicidas, transformados em árvores sombrias e retorcidas) e contra Deus.

8. Malebolge: em dez fossos diferentes, são castigados tipos distintos de fraudes: sedutores, aduladores, simoníacos (quem explora a fé alheia em troca de dinheiro), adivinhos, corruptos, hipócritas, ladrões, maus conselheiros, provocadores e falsificadores.

9. Lago Cocite: um lago congelado formado por lágrimas dos condenados e pelos rios infernais que ali desaguam. Lá pode ser encontrado Judas Iscariotes, traidor de Cristo, perpetuamente mordido por um das três cabeças de Lúcifer, quem traiu a Deus.

LEIA MAIS

Texto: Marcelo Ricciardi/colaborador – Edição: Natália Negretti