Mulheres no poder: conheça a história de Catarina, a Grande

Uma das mais famosas e competentes imperatrizes russas, Catarina, a Grande mostrou que o lugar das mulheres também é no governo de países e reinos

None
FOTO: Reprodução/Fyodor Rokotov/Museu Hermitage/Wikimedia Commons

por Redação Alto Astral
Publicado em 13/09/2016 às 15:02
Atualizado às 18:26

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Apesar de não ser de nacionalidade russa, Catarina, a Grande chegou ao poder e conseguiu expandir o Império Russo e torná-lo uma das maiores potências europeias da época.

Catarina a Grande, mulher, imperatriz, gravura, preto e branco

Catarina, a Grande, considerada a maior imperatriz russa da história. FOTO: Reprodução/Wikimedia Commons

Caminho até o reinado

Catarina era filha de nobres prussianos e, aos 15 anos de idade, foi enviada a Moscou. Em 1745, casou-se com o homem que, mais tarde, se tornaria Pedro III da Rússia. Após supostamente criar um plano para retirar seu marido do trono, Catarina se tornou rainha, em 1762. A primeira de suas ações foi estabelecer uma aliança com o rei Federico da Prússia, o que gerou a insatisfação da nobreza russa.

Catarina a Grande, czarina, imperatriz, russa, vestido dourado, colar

Catarina chegou ao poder após, supostamente, executar um golpe contra Pedro III com auxílio dos militares. FOTO: Reprodução/Wikimedia Commons

Esclarecida

Mesmo gerando um clima desfavorável para si com a consolidação de tal aliança, Catarina logo conseguiu quebrar a tensão gerada com a nobreza. Promovendo diversas reformas no Império Russo, nas quais buscou favorecer os nobres, como por exemplo isentando-os dos impostos e concedendo a eles terras e outros privilégios, a czarina consagrou-se como uma déspota esclarecida, sob influência do Iluminismo. Além disso, foi responsável por vencer guerras importantes – a principal delas contra os turcos otomanos, com os quais lutou durante basicamente todo o seu reinado – e conquistar territórios como a Crimeia, que além de expandir o Império, lhe proporcionou controle quase total sobre o Mar Morto.

SAIBA MAIS

Maquiavélica e infiel? Descubra como Carlota Joaquina realmente era

Princesa Isabel: a primeira mulher a governar o Brasil

Texto: Ana Beatriz Garcia Edição: João Paulo Fernandes