Entenda como aconteceu o acidente entre o boeing da Gol e o jato Legacy

Relembre os detalhes do acidente entre o Boeing 737-800 da Gol e o jato Legacy 600 da Embraer, que hoje completa dez anos

None
O Legacy saiu quase ileso do acidente, tendo perdido apenas uma parte da asa, que não prejudicou a aeronave na hora de realizar o pouso de emergência. FOTO: Divulgação/Força Aérea Brasileira

por Redação Alto Astral
Publicado em 28/09/2016 às 15:36
Atualizado às 18:35

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

No dia de hoje, o choque entre o Boeing 737-800 da companhia aérea Gol e o jato Legacy 600 da Embraer, completa 10 anos. O acidente, que deixou 154 mortos, é considerado um dos piores da história da aviação brasileira. Entenda como tudo aconteceu naquela fatídica tarde de 29 de setembro, no ano de 2006.

ilustração, aviões, choque entre aeronaves

Ilustração que simula o momento em que as duas aeronaves se chocaram no ar. FOTO: Reprodução/Wikimedia Commons

A tragédia

A 37 mil pés, o Boeing da Gol e o Legacy chocaram-se, tocando suas asas esquerdas. Enquanto o jato perdeu parte do winglet (aba inclinada na extremidade) da asa esquerda, mas manteve-se controlável e seguiu o voo, o avião maior perdeu cerca de um terço da asa esquerda e entrou em curva descendente pela esquerda, num movimento conhecido como “parafuso”. O mergulho descontrolado causou a desintegração estrutural da aeronave em vários pedaços durante a queda, não proporcionando chance de sobrevivência aos passageiros e tripulantes.

esquema, detalhes, colisão, acidente aéreo

Esquema ilustrativo que detalha quais partes das aeronaves foram afetadas no impacto. FOTO: Reprodução/Wikimedia Commons

Sobreviventes

O Legacy, por sua vez, conseguiu fazer  um pouso de emergência no aeródromo do Campo de Provas Brigadeiro Veloso, da Força Aérea Brasileira (FAB), na Serra do Cachimbo, no Pará, salvando todas as pessoas à bordo.

avião, jato, legacy, acidente, asa quebrada

O Legacy saiu quase ileso do acidente, tendo perdido apenas uma parte da asa, que não prejudicou a aeronave na hora de realizar o pouso de emergência. FOTO: Divulgação/Força Aérea Brasileira

LEIA TAMBÉM

Texto: Da redação