A Dona do Pedaço: Edilene morre em decorrência de um aborto clandestino

Edilene morre após fazer um aborto clandestino induzido por Otávio! A empregada irá furar os preservativos na tentativa de engravidar e se dará mal na trama

None
Foto: João Cotta / Divulgação / Rede Globo

por Redação Alto Astral
Publicado em 06/06/2019 às 12:31
Atualizado às 15:34

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

De acordo com o site Noticias da TV, na trama de A Dona do Pedaço, Edilene morre após fazer um aborto clandestino induzido por Otávio (José de Abreu)! Na tentativa de dar um filho biológico ao pai adotivo de Virgínia (Paolla Oliveira), a empregada irá furar os preservativos e conseguirá o que deseja. Quando o marido de Beatriz (Natália do Vale) descobre da gravidez, ele exige que a moça faça um aborto.

“Eu estou grávida de você. Vou ter um filho seu, do seu próprio sangue, Otávio”, dirá, animada. “Não é adotivo como a Vivi, mas seu de verdade. O filho que sua mulher não pode dar. Vamos ter essa criança, Otávio. Vamos casar e ter uma família”, fala Edilene.

“Ficou maluca? Eu não quero destruir minha família. Eu amo a Vivi como se fosse minha filha, como se fosse do meu próprio sangue, porque é um amor do coração. Agora, esse filho que você está esperando… É um golpe, não é? O golpe da barriga”, grita Otávio.

O empresário vai alegar que o filho é de outro, pois ele sempre usa preservativo.

“Não, não é de outro. Eu… eu furei os preservativos. Eu queria te dar esse presente. Um filho seu. Do seu sangue. Um filho nosso”, confessa a empregada.

Otávio (José de Abreu) e Edilene (Cynthia Senek) na novela A Dona do Pedaço

Edilene morre em decorrência de um aborto clandestino – Foto: TV Globo

Ao perceber que foi muito rude com a garota, Otávio muda de atitude e trata Edilene com muito carinho, dizendo que após o aborto, ele largará de Beatriz para ficar com ela. A empregada acreditará no empresário e buscará uma clínica clandestina.

Cosme (Osvaldo Mil) receberá a notícia da morte da filha. “Ela tentou fazer um aborto. Provavelmente, numa clínica clandestina. Alguma coisa deu errada, ela foi atirada na rua, com hemorragia. Foi resgatada há pouco”, dirá a enfermeira.

Antes de morrer, Edilene alerta o pai quem foi o culpado: “Foi o doutor Otávio, pai. O doutor Otávio”.

A cena está prevista para ir ao ar no dia 13 de junho. Não perca!

LEIA TAMBÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.