Você sabe como foram descobertos os raios-x? Confira!

Descobertos há mais de um século, os raios-x são hoje amplamente utilizados e proporcionam diversos avanços na medicina e no cotidiano

None
Rontgen comprovou suas observações tirando a primeira radiografia do braço esquerdo de sua esposa. FOTO: Reprodução/Shutterstock Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 26/08/2016 às 17:05
Atualizado às 18:18

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Você provavelmente já deve ter feito alguma radiografia, não é? Elas existem graças aos raios-x, um tipo de radiação eletromagnética de menor frequência do que os raios ultravioletas. Foi o físico alemão Wilhelm Conrad Rontgen que os descobriu, em 1895, além de fazer a primeira radiografia. Em 22 de dezembro deste ano, Rontgen expôs a mão esquerda de sua esposa à radiação por 15 minutos. Depois de revelado o filme fotográfico que estava no chassi onde o membro da mulher foi colocado, o cientista teve a confirmação de suas observações ao obter uma imagem que exibia os ossos dentro do contorno da mão de sua esposa.

radiografia, exposição, raios x, mão fazendo sinal de aprovação, sinal de positivo, polegar levantado

Rontgen comprovou suas observações tirando a primeira radiografia do braço esquerdo de sua esposa. FOTO: Reprodução/Shutterstock Images

Com seus estudos, Rontgen constatou que os raios-x atravessavam materiais de baixa densidade, como os músculos, mas não os de densidades mais elevadas, como os ossos, formando desenhos em chapas especiais. A partir de então, os raios-x começaram a ser utilizados para radiografias. No Brasil, a primeira radiografia foi tirada em 1896, mas não se sabe ao certo quem foi o médico responsável por executar o procedimento.

Pro bem e pro mal

Apesar de hoje serem amplamente usados, vale lembrar que, do mesmo jeito que os raios-x são benéficos – podem ajudar no tratamento do câncer -, uma exposição muito longa a essa radiação pode causar problemas de saúde, como queimaduras na pele, morte celular e até mutações genéticas.

SAIBA MAIS

Invenções de guerra: o GPS é uma herança militar

Nicotina já foi usada como tratamento medicinal. Confira!

Texto: Andrey Seisdedos Edição: João Paulo Fernandes