Conheça Indira Gandhi, a primeira mulher a governar a Índia!

Além de conseguir chegar ao posto de primeira ministra da Índia por duas vezes, Indira Gandhi foi uma importante líder popular do país

None
Indira Gandhi foi a primeira mulher na história a governar a Índia. FOTO: Reprodução/U.S. News e Warren K. Leffler

por Redação Alto Astral
Publicado em 30/09/2016 às 17:41
Atualizado às 18:36

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Por ser mulher, em uma sociedade extremamente machista e patriarcal, suspeitava-se que Indira Gandhi não conseguiria alcançar grande expressividade no poder. Contudo, ela provou o contrário. A primeira mulher a conquistar a chefia
do governo da Índia conquistou grande popularidade, e acabou ocupando o cargo de primeira-ministra de 1966 a 1977 e, mais tarde, de 1980 a 1984, quando foi assassinada.

Indira Gandhi, primeira-ministra-governante, Índia

Indira Gandhi foi a primeira mulher na história a governar a Índia. FOTO: Reprodução/U.S. News e Warren K. Leffler

Futura líder

Indira desde cedo dava sinais de que se envolveria com a política. Por influência da família – seu pai era nada menos que Jawarlahal Nehru, um dos líderes da independência da Índia ao lado de Mahatma Gandhi, e o primieiro homem a assumir o governo indiano após a independência -, ainda pequena foi iniciada em assuntos políticos e, durante a adolescência e juventude, também estudou história, antropologia e administração pública. Tudo indicava que, mais do que influência dos pais, a atuação política também era um gosto particular de Indira.

Mahatma Gandhi, deitado, pacifista, Indira Gandhi, criança

Indira junto com Mahatma Gandhi. Apesar do sobrenome igual, Indira não tinha nenhum grau de parentesco com o pacifista. FOTO: Reprodução/Wikimedia Commons

Primeiros passos na política

Como ministra da Informação e Radiodifusão, cargo que ocupou antes de chegar ao governo do país, reduziu a censura. Em 1966, assumiu o posto de primeira-ministra e governou a Índia com “mãos de ferro”. Indira tomou para si a liderança do partido, acabou com os privilégios dos príncipes, estabeleceu uma política socialista – assinou um tratado de amizade com a União Soviética em 1971 – e separou a porção leste do território indiano, dando origem a Bangladesh.

Morte

Indira morreu em 31 de outubro de 1984, assassinada a tiros por dois de seus guarda-costas. Ambos pertenciam à seita sikh, grupo que há meses vinha passando por uma relação conturbada com o governo da primeira-ministra.

LEIA TAMBÉM

Texto: Nathália Piccoli Edição: João Paulo Fernandes