ENTRETENIMENTO

Como morrer no fim do mundo: epidemias

Primeira postagem da série sobre como podemos morrer no fim do mundo, com especulações sobre as possíveis causas de uma extinção da espécie humana

None
Uma das possíveis causas de uma extinção em massa pode ser a proliferação descontrolada de algum vírus letal. FOTO: Reprodução

por Redação Alto Astral
Publicado em 15/12/2016 às 18:01
Atualizado às 16:09

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

A humanidade é muito curiosa em relação à morte Uma prova disso é que a grande maioria das religiões especula qual o destino da almadepois que ela deixa o corpo físico. Na ciência, essa curiosidade também existe, mas está mais voltada à questão de como vamos morrer. Se deixarmos de lado a individualidade, temos uma questão muito mais intrigante: a humanidade pode ser extinta?

Para responder a essa questão, começaremos hoje uma série de postagens sobre as possíveis ameaças que podem levar a raça humana ao fim. Confira!

meteoros, chuva, fim do mundo

A ciência tenta desvendar quais as possíveis causas que podem levar o ser humano à extinção. FOTO: Reprodução/Shutterstock Images

Epidemias

Um dos maiores perigos à perpetuação da nossa espécie tem um tamanho minúsculo. Existe a possibilidade de algum vírus violento dizimar grande parte da população, num modelo de extinção que é adorado pela ficção científica. Essa doença pode ser resultado da evolução de algum vírus comum – como o H1N1 -, que se mostre resistente aos medicamentos, por exemplo, ou mesmo uma arma biológica, que é uma substância criada em laboratório.

bactéria, vírus, proliferação

Uma das possíveis causas de uma extinção em massa pode ser a proliferação descontrolada de algum vírus letal. FOTO: Reprodução

Os laboratórios e governos criam medidas para prevenir a descoberta desse tipo de substância, mas elas podem acontecer de forma acidental, como parte de pesquisas para descobrir um novo remédio, por exemplo. Com a globalização, as epidemias têm um grande potencial de alastramento, como já foi demonstrado pela gripe aviária, a suína e, mais recentemente, o ebola.

vacina, frasco, seringa

A criação de uma arma biológica ou de um vírus altamente resistente pode acontecer por acidente, durante as tentativas de se desenvolver algum medicamento ou vacina. FOTO: Reprodução/Shutterstock Images

LEIA TAMBÉM

Texto: Da redação