ENTRETENIMENTO

Autocoroação: o dia que Napoleão desafiou a Igreja

Ao tirar a coroa das mãos do Papa e coroar a si mesmo, em sua autocoroação, Napoleão tomou uma atitude que ilustrou a separação entre Igreja e Estado

None

por Redação Alto Astral
Publicado em 15/08/2016 às 18:28
Atualizado às 18:09

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Você já ouviu falar que Napoleão foi uma figura histórica sem precedentes? Uma das provas de que essa afirmação está correta se deve ao episódio conhecido como autocoroação, quando ele tirou sua coroa das mãos do Papa e coroou a si mesmo, para mostrar que o seu poder não era submetido ao de mais ninguém.

Relembre essa história:

A autocoroação

Em 1804, Napoleão Bonaparte tornou-se imperador da França. E, a sua cerimônia de coroação foi marcada por uma atitude nunca antes vista, que retratava muito bem a separação entre Igreja e Estado promovida pelo soberano. Napoleão convidou o Papa Pio VII para coroá-lo em Paris, o que era diferente e único.

quadro momento autocoroação napoleão

Obra de Jacques-Louis David que retrata o momento (FOTO: Wikimedia Commons)

Dizem ainda, que o governante fez Pio VII esperar por três horas. Entretanto, o momento épico ainda estava por vir: Napoleão tirou a coroa das mãos do Papa, e diante da multidão que acompanhava o ato, coroou a si mesmo, denominando-se Napoleão I, senhor de todos os franceses, “em nome de Deus, mas sob o meu próprio comando”. Foi assim que começou sua jornada como Imperador da França.

SAIBA MAIS

Napoleão Bonaparte: Nostradamus previu seu governo? Saiba mais

Conheça a história de Adolf Hitler

Conheça a história de Voltaire

Texto: Érika Alfaro