ENTRETENIMENTO

20 de julho: a primeira vez que o homem pisou na lua

Em 1969, o astronauta norte-americano Neil Armstrong pisou na lua e deu um pequeno passo para o homem, mas um grande passo para a humanidade.

None
Astronauta Neil Armstrong finca a bandeira norte-americana em solo lunar

por Redação Alto Astral
Publicado em 20/07/2016 às 12:16
Atualizado às 17:41

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

No dia 20 de julho de 1969, o passo em câmera lenta de Neil Armstrong e a bandeira dos Estados Unidos fincada no solo entraram para a história da humanidade como a primeira vez que o homem pisou na lua.

Astronauta Neil Armstrong finca a bandeira norte-americana em solo lunar

FOTO: Reprodução

Além de Neil Armstrong, a tripulação da nave Apollo 11 era composta por Edwin Aldrin e Michael Collins. Segundo dados da NASA, a operação teria custado em torno de 136 milhões de dólares e mobilizado cerca de 400 mil pessoas.

Ao todo foram aproximadamente 21h no satélite da Terra, nas quais os astronautas puderam fazer fotos e recolher mais de 22 kg de material.

Quatro dias depois, o trio retornou ao nosso planeta com o status de missão cumprida. Contudo, 47 anos depois, o feito ainda é um tanto quanto contestado.

Polêmica

Na época, o mundo estava inserido no contexto de extrema tensão geopolítica da Guerra Fria, e norte-americanos e soviéticos protagonizavam uma batalha tecnológica de investimentos em programas aeroespaciais – a chamada “corrida espacial”.

Assim, motivados pelo fato dos soviéticos terem saído na frente ao lançar o primeiro homem no espaço sideral (Yuri Gagarin, em 1961), os Estados Unidos teriam forjado a missão que levou seus astronautas para o solo lunar afim de dar o troco em seu rival.

Obviamente, o governo norte-americano nega veementemente as acusações de fraude.

E você, acha realmente que o homem pisou na lua, ou tudo não passa de uma farsa?

VEJA TAMBÉM

5 mitos sobre a escravidão no Brasil
Albert Einstein presidente? Entenda a história!