ENTRETENIMENTO

7 coisas para pensar antes de ir a um zoológico, circo ou shows com animais

O caso do gorila Harambe trouxe uma importante discussão à tona!

None
Foto: Cincinnati Zoo/Reuters

por Redação Alto Astral
Publicado em 31/05/2016 às 10:27
Atualizado às 17:45

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Essa semana, um acidente envolvendo uma criança americana em um zoológico reacendeu a dúvida de muitas pessoas sobre esse tipo de local: será que eles são mesmo santuários, ou apenas mais uma forma que o homem encontrou para lucrar com animais?

O ACIDENTE

Gorila Harambe

Foto: Cincinnati Zoo/Reuters

No último sábado, 28, um garoto de quatro anos de idade caiu dentro da jaula de um gorila no Cincinnati Zoo, em Ohio, Estados Unidos. O menino ficou apavorado com a situação, já que algumas pessoas começaram a gritar pedindo ajuda. Prontamente, a equipe do zoológico optou por abater Harambe, um gorila de 181 quilos, por ser “potencialmente perigoso“.

O fato tornou-se viral nas redes sociais e muitas pessoas se posicionaram contra a atitude do zoológico. Mais de 2.000 usuários assinaram uma petição online pedindo que os pais da criança fossem “responsabilizados por suas ações de não supervisionar seu filho”.

O contato com a natureza e com os animais é importante, porém, é necessário ficar atento. Por isso, listamos 7 coisas para pensar antes de ir a um zoológico, circo ou shows com animais!

É realmente necessário?

Existem outras formas de colocar as crianças em contato com animais, por exemplo: levá-las para passar uma tarde em alguma instituição ou abrigo de animais. A felicidade será em dose dupla: a criançada se diverte e os animais recebem um carinho superverdadeiro!

De onde esses animais vieram?

Resgate animal? Acidentes em rodovias? Achados em áreas urbanas? Nascidos em cativeiro? É necessário saber a história de vida desses animais para tomar decisões mais exatas.

SAIBA MAIS

Mães de cachorro: confira famosas que mimam seus animais de estimação
Como funciona a espiritualidade dos animais?
Animais fofos das novelas
Saiba mais sobre câncer de mama em animais

Para onde esses animais vão?

Muitos zoológicos optam por fazer um ótimo trabalho resgatando animais, tratando-os, recolocando-os em contato com outros da mesma espécie e, finalmente, devolvendo-os ao seu habitat natural. Porém, muitas vezes, não é isso o que acontece. Alguns animais acabam destinados a viverem enjaulados.

Como esses animais são tratados fora das atrações?

Seja em um zoológico, circo ou show com animais, é importantíssimo saber como os animais das atrações são tratados: se comem bem, se vivem com bastante espaço, se convivem com outras espécies, e claro, se não são maltratados.

Já existem denúncias contra o local?

A pergunta é simples e a resposta é ainda mais: se existem denúncias contra o local ou show, é melhor repensar a escolha e não ir!

Existem profissionais responsáveis?

Cada tipo de animal precisa de um tratamento individual e especializado. Por isso, é importante observar se existem profissionais responsáveis e capacitados para cada necessidade dos bichos: biólogos, veterinários, tratadores, entre outros.

Por último, mas não menos importante:

Meme: qual a necessidade disso?

Qual a necessidade disso?

Alguns shows com animais acabam beirando o bizarro… Cachorros com os pelos tingidos de cores chamativas? Macacos fantasiados? Acredite: em muitos lugares isso ainda acontece! Pare e pense: qual a necessidade disso?

Denúncia

Viu algo estranho? Algum tipo de violência? Não hesite em denunciar!

Exemplos de maus-tratos

  • Abandonar, espancar, golpear, mutilar e envenenar;
  • Manter preso permanentemente em correntes;
  • Manter em locais pequenos e sem higiene;
  • Não abrigar do sol, da chuva e do frio;
  • Deixar sem ventilação ou luz solar;
  • Não dar água e comida diariamente;
  • Negar assistência veterinária ao animal doente ou ferido;
  • Obrigar a trabalho excessivo ou superior a sua força;
  • Capturar animais silvestres;
  • Utilizar animal em shows que possam lhe causar pânico ou estresse;
  • Promover violência como rinhas de galo, farra-do-boi etc.

Toda denúncia pode ser feita de forma anônima através do telefone 190.