Memória: entenda sua importância no dia a dia

Ter boa eficiência na memória é essencial na vida de qualquer um, tanto para os estudos quanto no trabalho. Entenda como esse processo acontece

Entenda a importância da memória em nosso dia a dia
FOTO: Shutterstock.com

A memória é a capacidade que nossa mente tem de conservar e resgatar fatos e dados do passado. Ter uma boa eficiência no armazenamento de informações é essencial para organizar as tarefas do dia a dia ou para lembrar a data de aniversário de alguém querido, por exemplo. E tem mais: quando seu rendimento cai, diversas complicações podem surgir na vida social, no trabalho e, principalmente, nos estudos.

Tem algo errado na memória

Resumidamente, processos como o apren­dizado, o pensamento e o raciocínio não se­riam possíveis sem a memória – são conceitos que estão totalmente relacionados. Uma boa aprendizagem e um desempenho satisfatório nos estudos se devem a uma boa memorização.

Entenda a importância da memória em nosso dia a dia

FOTO: Shutterstock.com

Uma das principais reclamações dos estudantes é, justamente, sobre a memorização das informações consumidas. Ou melhor, sobre a dificuldade em fazê-la. Quem nunca pegou um livro qualquer, iniciou a leitura e, algumas páginas depois, já não sabia mais do que se tratava o assunto?

Para o neurolinguis­ta Victor Patrick, um dos motivos para esse problema são os maus hábitos que mantemos na hora do estudo. “Devido à maneira que essas informações são recebidas, tratadas e armazenadas em nosso no cérebro, o acesso consciente a esses dados fica comprometido quando mais precisamos”, analisa.

Compreender para aprender

Lembrar da fórmula de algum elemento químico, por exemplo, pode parecer uma mis­são impossível. Porém, memorizar um mundo de fórmulas pode ser uma tarefa mais fácil. E a solução para esse empecilho está dentro de sua própria cabeça, garante o especialista.

Co­nhecendo como se dá esse processo, é possível melhorar – e muito – a capacidade da memória. “Se soubermos como o cérebro aprende, assimila, absorve, organiza e armazena as informações, podemos potencializar este sistema, tornando as informações facilmente acessáveis sempre que quisermos”, aponta Victor.

A boa notícia é que existem algumas técnicas que podem ser extremamente úteis na hora de estudar melhor. Outra boa sugestão é praticar a neuróbica, técnica de ginástica para os neurônios que pode ser aplicada em nosso cotidiano.

 

Confira também!

Concentração e foco: conheça as diferenças

5 exercícios para combater o Alzheimer

Consultorias: Solange Jacob, diretora pedagógica nacional do Supera – ginástica para o cérebro (www.metodosupera.com.br); Victor Patrick, neurolinguista e especialista em neuroaprendizagem.
Texto: Augusto Biason/Colaborador – Entrevistas: Augusto Biason/Colaborador e Victor Santos – Edição: Victor Santos