Sentimento ou doença: como diferenciar tristeza de depressão?

Como diferenciar tristeza de depressão? Grande parte das pessoas tendem a confundir os dois problemas, mas eles são bem diferentes

aprenda a diferenciar tristeza de depressão
A depressão, diferentemente da tristeza, é uma doença psíquica. FOTO: Shutterstock

Você conhece alguém que está passando por um momento difícil e vem apresentando mudanças de comportamento? Em muitos momentos da vida, é provável que as pessoas sejam submetidas a situações de extrema dificuldade, sobretudo emocional, como a perda de um ente querido. Mas até mesmo o luto tem um período (geralmente de 1 a 2 anos) considerado normal para ser superado e não influenciar em outros fatores da vida pessoal. Saiba como diferenciar tristeza de depressão para e tenha mais alegria e qualidade de vida!

 

aprenda a diferenciar tristeza de depressão

A depressão, diferentemente da tristeza, é uma doença psíquica. FOTO: Shutterstock

 

Problemas distintos

É natural se abater em alguns momentos da vida, como quando é preciso lidar com a morte de algum ente querido. No entanto, se a tristeza se recusa a ir embora e começa a afetar o cotidiano, torna-se necessária a busca pela ajuda de um profissional que irá analisar o quadro para diferenciar tristeza de depressão. “O paciente com depressão pode ter dificuldade de associar algum fator desencadeante. Dessa forma, o quadro depressivo é mais duradouro e traz outros sintomas, tais como perda de apetite, alterações do sono, falta de libido, desânimo e perda de interesse em assuntos ou atividades que antes eram prazerosas”, detalha a psicanalista Márcia Fraga.

“Preciso de ajuda!”

Existem muitos mitos sobre o quadro depressivo, mas uma verdade deve ser dita: a cura só acontece se o paciente estiver disposto a ser ajudado. O primeiro passo para diferenciar tristeza de depressão é identificar os sintomas. Procure um psicólogo ou um psiquiatra para que ele faça uma avaliação clínica e recomende o tratamento adequado. Em alguns casos, o profissional poderá inciar o tratamento com antidepressivos. “É importante não interromper os remédios por conta própria. Isso é comum quando o paciente começa a se sentir bem e acha que não precisa de mais nada, podendo ocasionar sérias recaídas”, adverte Márcia.

 

Depressão atinge mais de 20 milhões de pessoas por ano nos EUA

É possível vencer a depressão com a ajuda médica. FOTO: Shutterstock

A depressão tem algum lado positivo?

Não! É errado pensar que a depressão fortalece ou serve de amadurecimento para alguém. Por outro lado, a tristeza faz parte da vida de qualquer um e é comum encarar como um aprendizado as mudanças pelas quais todos são submetidos, como perdas, despedidas ou derrotas.

Mas lembre-se sempre de que a depressão pode e deve ser evitada através de algumas atitudes simples, como uma alimentação balanceada, a prática de exercícios físicos e à companhia de amigos. “O sentimento de tristeza possui valor adaptativo, uma vez que pode levar a pessoa à reflexão e a mudanças que tenham impacto positivo na qualidade de vida”, explica a psiquiatra Mara Fernandes Maranhão. “Porém, quando o indivíduo não sabe como reagir à dor e é incapaz de mandar a tristeza embora, esse quadro pode se desenvolver e se transformar em depressão”, acrescenta.

 

Texto: Redação Alto Astral

Consultoria: Mara Fernandes Maranhão, psiquiatra; Márcia Fraga, psicanalista

 

LEIA TAMBÉM: