Dietas rápidas são boas para emagrecer?

O que vale mais: perder peso com dietas rápidas ou aos poucos? Confira os benefícios e os malefícios de cada plano de emagrecimento!

mulher fita metrica
Foto: iStock.com/Getty Images

Alguns profissionais da área de nutrição acreditam que secar os quilos com dietas rápidas é a maneira mais eficiente de fazer as pazes com o espelho e manter o corpo em dia. Já outros especialistas não abrem mão da boa e velha mudança de hábitos alimentares que traz resultados a longo prazo. Mas, afinal, o que é melhor para o emagrecimento saudável?

dietas rápidas: mulher sorrindo segurando fita métrica

Foto: iStock.com/Getty Images

O perigo das dietas rápidas

Segundo os defensores da “dieta express”, perder peso rápido serve como motivação para as pessoas que vivem brigando com a balança seguirem em frente com o plano de emagrecimento. Em contrapartida, quando há uma redução brusca de calorias e alimentos no dia a dia, acontece também uma diminuição de nutrientes absorvidos pelo organismo. “Dependendo do tipo de dieta adotada, a pessoa poderá ter perdas nutricionais significativas, apresentar constipação, diarreia, fadiga, fraqueza, entre outros sintomas”, alerta a nutricionista Claudia Moraes.

A profissional recomenda as dietas rápidas apenas sob orientação médica, como nos casos em que a paciente precisa emagrecer antes de uma cirurgia ou quando o excesso de peso afeta a qualidade de vida. Outra restrição fica por conta das dietas líquidas, que devem ser seguidas apenas durante uma semana. Em linhas gerais, esses cardápios contam com uma variação enorme de líquidos durante o dia, que diminuem o inchaço e secam medidas, ajudando você a entrar naquele vestido lindo ou no seu jeans preferido em pouco tempo.

SAIBA MAIS

Mercado light: escolha os melhores produtos para o seu carrinho!

Quais são as frutas e os shakes ideais para cada hora do dia?

5 motivos para adicionar a banana verde na dieta

Na medida certa!

Para vencer a guerra contra os quilinhos a mais, a arma número um dessa batalha atende pelo nome de paciência. “O ideal é emagrecer naturalmente, sem pressa e sem estresse. Durante o processo de perda de peso, a pessoa deverá relaxar e não se preocupar o tempo todo em emagrecer”, ressalta Claudia.

Para a nutricionista, o “pensar magro” é a única maneira de conquistar o corpo desejado. “Adotar uma dieta equilibrada e aliar com exercícios físicos equilibra o seu organismo e ajuda a não ganhar peso. Para não ter recaída, a dica é manter-se fiel à uma dieta saudável e olhar-se no espelho para ver o seu progresso”, completa a profissional.

Você sabia?

Quanto mais rápido perdemos peso, mais rápido os quilinhos podem voltar. “Se perdemos peso drasticamente, não damos tempo para que nosso organismo se adapte. Ou seja, quando diminuímos a ingestão de alimentos, ocorre a redução de leptina e o aumento de grelina no sangue. A leptina é o hormônio responsável pela saciedade. Já a grelina é o hormônio associado à fome. Por isso, ao voltar a se alimentar normalmente, sentirá mais vontade de comer”, alerta Claudia.

Texto: Jacque Lopes | Consultoria: Claudia Moraes, consultora em nutrição da Kanguruh Terceira Idade, do Rio de Janeiro (RJ)