Dicas para decorar um flat

Conheça as principais diferenças entre flats e apartamentos pequenos

Por Isabela Zamboni - 21/08/2014

Você sabe diferenciar um flat de um apartamento pequeno? Qual a diferença entre um flat e uma quitinete? Por ser um ambiente funcional e pequeno, é um espaço que está ganhando seu lugar no mercado imobiliário. Segundo a arquiteta Ivana Seabra, o flat é um espaço otimizado que normalmente contempla os seguintes ambientes: um quarto, sala com espaço para cozinha e banheiro.

“Normalmente, esse tipo de apartamento é destinado a casais sem filhos ou pessoa que mora sozinha. Como temos cada vez mais casais que optam em não ter filhos, esse tipo de construção está sendo bastante procurado”, explica a profissional.

flat bem decorado

Reprodução/Topics USA

Principais características do flat

Ivana aponta que o flat tem opções de serviço agregado ao edifício, como lavanderia e limpeza. São serviços terceirizados dentro da edificação. O que difere o flat de uma quitinete, por exemplo, são esses serviços. “A quitinete normalmente tem os mesmos ambientes que contemplam o flat, porém não tem esses serviços agregados a edificação e, por isso, as quitinetes têm um custo mais acessível se comparado ao flat”, conta a especialista.

Dicas para decorar um flat

Em espaços pequenos, é normal surgir a dúvida de como decorar, como economizar espaço, que tipos de móveis utilizar… no entanto, a arquiteta ensina alguns recursos para ajudar nessa tarefa. “Como é um ambiente pequeno, uma boa dica é utilizar recursos que vão dar uma sensação maior de amplitude, como espelho na porta de entrada e na sala de jantar. Tons mais claros nas paredes e nos móveis maiores deixando as cores somente para os detalhes menores e que podem ser trocados quando a pessoa quiser”, aponta Ivana.

A única desvantagem, de acordo com Ivana, é que o espaço é bem compacto e reduzido. Entre as vantagens, é superfácil de arrumar e perfeito para quem mora sozinho e passa boa parte do tempo fora de casa.

Ela ainda afirma que “mobiliários rústicos, de fazenda, devem ser evitados. Isso porque o excesso de madeira compromete e reduz o espaço. Caso a pessoa tenha predileção por esse tipo de madeira, ela deve ser usada somente em pequenos detalhes e jamais em móveis maiores”.

Consultoria

Ivana Seabra – arquiteta
http://www.ivanaseabra.com.br/