Dicas para pagar suas dívidas e sair do vermelho

Veja dicas de como evitar entrar no vermelho e, caso já esteja, como superar esse momento difícil

Dicas para pagar suas dívidas e sair do vermelho
Shutterstock

Ficar atolada em dívidas e não conseguir pagar as contas em dia é um problema que, se não for tratado e resolvido, pode virar uma bola de neve que não para de crescer. Para conseguir arcar com as responsabilidades financeiras, é preciso esforço e uma análise profunda de todos os gastos. Veja dicas para pagar suas dívidas e sair do vermelho:

Dicas para pagar suas dívidas e sair do vermelho

Shutterstock

 

Como organizar os gastos

“O planejamento financeiro é um excelente aliado para organizar os gastos. O ponto de partida é a planilha de orçamento, que vai mostrar como anda a saúde do seu bolso. A planilha deve comparar todo o dinheiro ganho com as despesas e, assim, ajustar os gastos ao quanto se ganha”, afirma Waldeli Azevedo, consultora financeira.

Dessa forma, seu orçamento deixará claro se está sobrando ou faltando dinheiro para que, assim, você possa pensar em metas e objetivos para traçar. A curto prazo, a elaboração da planilha dirá para onde está indo o seu dinheiro e quais gastos podem ser cortados. A longo prazo, ficar de olho nas finanças é a melhor opção: definir objetivos claros e identificar quando dá para poupar aquele dinheiro que será responsável por alcançá-los.

Quando você traça objetivos, você evita gastos por impulso e define o seu próprio poder de consumo.

Como poupar gastos?

Conversar com a família é superimportante para poupar os gastos. Você não é a única a gastar o dinheiro da família, então, se todos estiverem envolvidos no esforço, as chances de dar certo são muito maiores.

“Mas, caso esteja convencido de que não há possibilidade de cortar despesas, há duas alternativas: rever o padrão de vida ou procurar fontes alternativas de renda”, acrescenta Waldeli.

Rever o padrão de vida significa, temporariamente, deixar de fazer algumas coisas na intenção de melhorar a condição financeira. Economizar na compra de roupas, rever os serviços que você contrata na sua casa, deixar de ir ao shopping ou viajar podem ser atitudes difíceis de serem tomadas, mas que, com certeza, fazem parte de um momento transitório e que trará ótimos resultados. Segunda a consultora, “não se trata de sacrifício, mas de encontrar soluções para um problema que todos querem superar logo!”

SAIBA MAIS

6 formas de ganhar dinheiro extra pela internet

Simpatias para atrair dinheiro

O interessante é que, com esta medida, todos cultivam novos hábitos e passam a rever sua forma de gastar. Quando a situação se estabilizar, vale aproveitar o que foi aprendido para poupar e realizar sonhos (ou seja, continuar economizando, mas agora para poder viajar, comprar um carro etc. )

Entrei no vermelho. O que fazer para sair dessa situação?

Entrar no vermelho não acontece apenas pelo excesso de gastos de forma descontrolada. Para quem tem um negócio próprio, por exemplo, pode ser apenas um momento ruim. “Dessa forma, o primeiro passo é enxergar a situação com clareza e calma, já que desespero só dificulta na hora de tomar decisões responsáveis”, adverte Waldeli.

O segundo passo é buscar formas de aumentar a renda familiar. Isso significa avaliar se o emprego atual é o ideal ou se você tem capacidade de encontrar um melhor, buscar atividades extras que possibilitem outra fonte de dinheiro e até encontrar alguém na família que também possa trabalhar para dar uma força na hora de pagar as contas.

Recorrer ao crédito não é a melhor opção, já que as instituições que oferecem esse tipo de serviço cobram taxas altíssimas de juros e, é claro, você trocaria uma dívida por outra ainda maior. A mesma coisa acontece ao pedir empréstimos para familiares.

Na hora de quitar essas dívidas, priorize as mais caras, sujeitas a taxas maiores de juros.

Dicas para pagar suas dívidas e sair do vermelho

Shutterstock

Estou com o nome sujo. Como faço para pagar minhas dívidas?

Comece indo até a instituição onde seu nome consta como sujo e solicite um extrato, que vai te informar em qual instabelecimento você possui a dívida e qual é o valor da mesma. Peça também informações sobre como agir. Após quitar a dívida, não se esqueça de solicitar uma declaração de quitação, que é a sua garantia de que aquele valor realmente foi pago. Agora, algumas atitudes burocrátricas junto a um cartório são necessárias, mas o mais importante já foi feito, você já pagou o que devia!

Uma vez livre das dívidas, é essencial adotar um planejamento financeiro capaz de reequilibras as contas, evitando que o problema volte a acontecer, ok?

Consultoria : Waldeli Azevedo, consultora financeira do programa Finanças Práticas (www.financaspraticas.com.br)