Evitar alergias respiratórias no inverno: 5 dicas para mantê-las longe

Dicas profissionais para evitar alergias respiratórias no inverno

Descubra como conquistar maior qualidade de vida com medidas simples para o dia a dia

evitar alergias respiratórias
Foto: Shutterstock

As temperaturas começaram a cair e, com elas, surgem alguns probleminhas comuns à estação. Em época de tempo seco, as crianças são as que mais sofrem com o excesso de poluição e baixa umidade do ar. Narinas congestionadas e com secreção e tosse seca e constante são os maiores incômodos sofridos. Às vezes, evitar alergias respiratórias pode se tornar uma verdadeira missão – quase – impossível.

Para ajudar você a desvendar o que ajuda e o que atrapalha na hora de se prevenir – ou até mesmo tratar – esse problema, a médica Talita Poli Biason, do Aché Laboratórios Farmacêuticos, conta os principais meios de mantê-lo bem longe da sua casa durante os dias frios, livrando-se de quadros mais graves.

Proteja seu lar dos efeitos de agentes alergênicos

Em busca de ambientes arejados

Os portadores de doenças respiratórias precisam privilegiar ambientes arejados. Um ponto importante a ser considerado é a existência de uma boa ventilação na casa e no quarto e, se possível, cômodos ensolarados, para evitar o surgimento de bolor.

Na hora da limpeza

Quando for limpar o chão, fuja da vassoura. Varrer a casa acaba levantando a poeira, espalhando-a e, assim, piorando a situação. Prefira o uso de um rodo com pano úmido. Os aspiradores de pó também são indicados, porém, normalmente, seu filtro não é desenvolvido para limpar a superfície por completo. Portanto, muitas vezes, o que ele faz é uma pulverização de poeira no ambiente. Existem aspiradores com filtros especiais e de alta eficiência, porém têm um custo muito elevado.

Cortinas? Melhor não!

Evite ter cortinas em casa. Caso seja realmente necessário, opte por persianas, que são mais fáceis de limpar. Também escolha as feitas de material de fácil limpeza, como plástico, madeira ou bambu, e evite as de tecido. Mantenha-as limpas passando um pano molhado com sabão neutro. Se não tiver outra opção além da cortina de pano, busque lavá-las periodicamente.

Atenção ao chão

Outro item “proibido” em casa é o tapete. Caso não dê para deixar de ter, escolha os tapetes finos e menores, que são mais fáceis de lavar frequentemente. Também não use vassoura para limpá-los, opte pelo aspirador de pó. Higienize todas as peças uma vez por semana.

Fofinho, mas perigoso!

Mantenha distância de bichinhos de pelúcia, pois seus pelos abrigam muita poeira e, consequentemente, ácaros. Opte por brinquedos laváveis ou feitos de materiais antialérgicos.

Mitos e verdades para evitar alergias respiratórias

Lavagens nasais podem ser realizadas regularmente

A técnica auxilia na remoção de antígenos (partículas ou moléculas) que, ao entrarem em contato com a mucosa nasal, colaboram para o desencadeamento de crises alérgicas. Além disso, auxilia na retirada do excesso de muco. Para as lavagens, faça o uso de uma solução nasal de cloreto de sódio 0,9%, pois fluidifica a secreção sem agredir o nariz. O ideal é fazer a higienização de duas a três vezes ao dia.

A alergia respiratória ocorrem em qualquer época do ano

Porém, nas estações mais frias, o aumento dos sintomas acontece devido ao ar seco e à temperatura mais baixa. Nessa época do ano, também há aumento da exposição aos ácaros e fungos, como a que ocorre pelo maior contato com as roupas de frio e cobertores que estavam guardados no armário há muito tempo.

Produtos com cheiros fortes devem ser evitados

Os perfumes, mesmo os de fixação mais leve, como águas de colônia, precisam ser evitados pelos alérgicos, inclusive por parentes próximos. Os produtos de limpeza também devem ser utilizados longe ou na ausência da criança para evitar as crises.

Rinite alérgica tem cura?

O problema não possui uma cura definitiva. Porém, é possível mantê-lo sob controle por meio de um tratamento médico adequado e, claro, evitando o contato com agentes alergênicos, como, por exemplo, poeira doméstica.

Alérgicos não podem praticar esportes

As crianças alérgicas podem e devem praticar esportes. No entanto, recomenda-se conversar com o médico na hora de escolher a melhor atividade para cada uma. Além disso, é preciso seguir alguns cuidados: nos dias muito quentes e/ou de baixa umidade do ar, os exercícios devem ser evitados. É necessário ter atenção redobrada na hidratação durante a prática e vestir roupas leves e confortáveis.

Animais de estimação em casa

Existe a ideia de que quem sofre de alguma doença respiratória não deve ter animais de estimação em casa, em especial os que possuem pelos, como cães, gatos e coelhos. Acredita-se também que esses animais podem fazer com que, principalmente as crianças, desenvolvam tais doenças. A verdade é que nenhum problema respiratório é “passado” para as crianças.

O que os animais com pelos podem é despertar crises alérgicas, e isso, se estiverem mal cuidados e em permanente contato com a pessoa alérgica. É claro que algumas atitudes devem ser evitadas, como beijar os animais, porém, o cuidado não é porque os pelos possam entrar no pulmão da criança e causar alguma doença respiratória e, sim, porque a sujeira dos pelos, onde estão, por exemplo, os ácaros, pode chegar às vias respiratórias.

Mas é possível evitar alergias respiratórias de maneira simples: não deixar o animalzinho de estimação em locais como camas, sofás, almofadas e lugares onde a pessoa costuma se deitar já ajuda – e muito. Portanto, é verdade, que com pessoas que sofrem de asma, o contato com um ambiente com muitos animais pode desencadear uma crise, mas nunca vai desencadear a doença, isso depende da disposição genética.

Leia também: