Diabéticos: de cada dez, seis deixam de examinar os olhos

Segundo estudo recente os diabéticos se preocupam pouco com a saúde dos olhos. Confira a seguir, a doença ocular que pode se desenvolver com esse descuido!

mulher fazendo exame nos olhos
Foto iStock.com/Getty Images

Não é novidade: quem tem diabetes precisa tomar alguns cuidados especiais com a saúde, afinal não fazer o tratamento correto da doença pode trazer sérios problemas. Porém, um estudo recente mostrou que os diabéticos se preocupam bem pouco, especificamente com saúde dos olhos . Eles se preocupam mais com o que comem, bebem e passam a praticar exercícios físicos, mas ir ao oftalmologista por exemplo, é algo bem difícil. A pesquisa feita pelos médicos do Wills Eye Hospital, na Filadélfia (Estados Unidos), analisou duas mil pessoas com mais de 40 anos e portadores da doença.

 

olhos

Foto iStock.com/Getty Images

RETINOPATIA DIABÉTICA

É uma doença ocular que afeta apenas os diabéticos. “Com o passar dos anos, o paciente tem as pequenas veias e artérias machucadas e com isso elas perdem a capacidade de levar o sangue para os tecidos, começam a deixar sair gorduras e líquidos através de seus poros e geram pequenos infartos dentro dos olhos. Tudo isso causa baixa visão e até mesmo cegueira, quando não tratado adequadamente ou no tempo correto”, explica o oftalmologista Luis Felipe da Silva Alves Carneiro. Para evitar complicações, o paciente precisa descobrir a lesão a tempo e por isso é fundamental a consulta ao oftalmologista.

COMO DESCOBRIR?

O exame do fundo de olho é a maneira como o médico oftalmologista consegue examinar a retina do seu paciente diabético e avaliar se existe ou não a lesão dos vasos sanguíneos. É necessário pingar o colírio para dilatar a pupila para que possa ser bem realizado.

 

mulher fazendo exame nos olhos

Foto iStock.com/Getty Images

TRATAMENTO

Segundo Carneiro, o paciente que foi diagnosticado com diabetes precisa de informação. Ele necessita de acompanhamento multidisciplinar com médicos, psicólogos, nutricionistas, enfermeiros e educadores físicos. Somente assim vai compreender a sua doença e poder ter uma excelente qualidade de vida e viver bem com a doença. “Não é porque um paciente está diabético que necessita interromper o uso de todos os tipos de alimentos. Existem várias possibilidades. Hoje os nutricionistas estão aptos a trabalhar juntamente com os endocrinologistas e oferecem a dieta baseada em controle de carboidratos”.

O oftalmologista conta que em relação às complicações secundárias ao diabetes, ele tem vários pacientes com mais de 20 anos de doença que não possuem nenhuma complicação, tudo graças a um controle adequado da glicemia e dos fatores de risco.

 

Consultoria Luis Felipe da Silva Alves Carneiro e  Renato Neves, oftalmologistas

Leia também: