Farinha de berinjela

Seu alto teor de fibras gera a saciedade e reduz a barriga

Farinha de berinjela

 

Feita a partir do fruto desintegrado, a farinha de berinjela possui propriedades antioxidantes, melhora a qualidade de vida e você pode perder até 6kg em dois meses. Tudo isso porque seu alto teor de fibras gera a saciedade e também reduz a barriga. Conheça os benefícios:

 

Regula o intestino: seu elevado teor de fibras promove o aumento do bolo fecal e regula o intestino. No entanto, quem consome a farinha deve ingerir bastante água para equilibrar o trânsito intestinal.

Antioxidante: a quantidade de flavonóides encontrados na casca da berinjela possui propriedades antioxidantes, que retardam o envelhecimento.

Saciedade: as fibras presentes no alimento geram mais sensação de saciedade, pois auxiliam na redução da ingestão energética e aumenta o tempo de esvaziamento gástrico.

Diminui o mal colesterol: o alto teor de fibras favorece a diminuição dos níveis de LDL, o colesterol ruim.

Reduz doenças coronarianas: a berinjela é popularmente conhecida pelas suas propriedades nutracêuticas, ou seja, nutre o organismo e melhora a saúde, auxiliando na redução do risco de doenças relacionadas ao coração.

Contra inflamações e dores articulares: o consumo da farinha também ajuda a reduzir a concentração de ácido úrico no organismo, que em excesso favorece inflamações e dores articulares.

Diminui a barriga: o consumo de farinha de berinjela associada a uma alimentação equilibrada, promove uma redução de gordura abdominal.

 

Mais saúde e menos 3kg por mês 

A perda de peso associada ao consumo da farinha de berinjela foi observada através de um estudo desenvolvido por nutricionistas do Instituto de Nutrição Josué de Castro (INJC-UFRJ). As pesquisas apontam que houve uma média de redução de 6kg durante os dois meses de acompanhamento alimentar com a farinha de berinjela.

No entanto, Vanessa lembra que o emagrecimento de um indivíduo depende de uma série de fatores, como a alimentação, atividade física, idade, sexo e histórico médico. “A farinha de berinjela é um coadjuvante na dieta, gerando maior saciedade, melhorando o trânsito intestinal e a qualidade de vida. Porém, cada indivíduo possui um metabolismo diferente, obtendo resultados diferenciados”, aponta.

O consumo da farinha pode ser feito por tempo indeterminado, porém, é importante lembrar que o consumo de água deve ser adequado. “Como o alimento é riquíssimo em fibras, a ingestão de água é muito importante em todo o processo de perda de peso. A falta do líquido pode surtir efeito contrário”, garante a nutricionista da Premier Nutrition. 

  

Prepare a farinha em casa

A farinha de berinjela é obtida pela desidratação do fruto integral, seguido de processamento. Para prepará-la em casa, fatie 1kg de berinjela e leve ao forno a uma temperatura de 200 graus até o legume ficar crocante e desidratado, tempo que leva, em média, 2h15min. Depois, com o legume frio, triture no liquidificador ou processador até formar um farelo fino.

O produto também pode ser encontrado pronto em casa de produtos naturais, na forma de suplemento alimentar. Vanessa de Abreu, nutricionista da Premier Nutrition, aponta que a forma industrializada da farinha consegue manter melhor as propriedades nutritivas do alimento.

 

Cardápio para consumir a farinha de berinjela

Vanessa aconselha a polvilhar duas colheres (sopa) do produto no almoço e duas no jantar. Além disso, vale optar por frutas cítricas na sobremesa, que favorecem a diminuição de radicais livres.

 

Café da manhã: Frutas, cereais integrais e uma fonte de laticínio. Por ser a refeição mais importante do dia, deve conter todos os nutrientes.

Lanche da manhã: uma barra de cereais, barra de proteína ou uma fruta.

Almoço: a refeição deve conter diferentes verduras e legumes, arroz, feijão e uma carne magra. Para a sobremesa, uma fruta.

Lanche da tarde: um iogurte com granola e uma fruta.

Jantar: arroz, feijão, diferentes verduras e legumes, uma carne magra e uma fruta de sobremesa.

Ceia: aposte numa fonte de proteína, lembra a nutricionista, para evitar picos glicêmicos e evitar o catabolismo muscular, que ocorre frequentemente em indivíduos em restrição calórica, como no caso de uma dieta, por exemplo.

 

Texto: Larissa Faria
Consultoria: Vanessa de Abreu, nutricionista da Premier Nutrition.
Foto: Stela Handa/Colaboradora