Dieta moduladora

Dieta moduladora

Foto: Thinkstock/Getty Images

Ingerir alimentos que equilibrem a liberação normal de hormônios no organismo para prevenir o acúmulo de gordura. Esse é o objetivo da dieta que faz uso apenas da reeducação alimentar para ajudar você a eliminar os quilinhos extras. A nutricionista Lais Dreer explica como ela funciona e sugere um cardápio de cinco dias para você entrar em forma rapidinho.

Direto no problema

Esse plano alimentar auxilia na queima de gordura localizada, já que diferentes alimentos têm efeitos variados nos principais hormônios que controlam o uso de energia e, consequentemente, no armazenamento de gordura. “Essa dieta atua principalmente na perda de gordura, pois regula a ingestão de carboidratos através da alimentação, evitando a liberação de insulina em excesso, que favorece o armazenamento de açúcar em forma de gordura”.

“Outros hormônios envolvidos no consumo alimentar, armazenamento de gordura e ganho de peso são os glicocorticoides. Não há como combatê-los, pois nosso organismo necessita de sua existência, mas há como modulá-los através da alimentação, potencializando o consumo de alimentos como peixes, abacate, oleaginosas, fontes de ômega 3, chás pretos e verdes e chocolates com alto teor de cacau na porção de 30g ao dia”, indica a especialista.

Magra e saudável

A dieta moduladora consiste em fazer uma reeducação dos hábitos alimentares. De que forma? Ingerindo mais refeições ao longo do dia (no mínimo seis) com intervalo de, no máximo, três horas entre elas. Além disso, utiliza alimentos funcionais que atuam na regulação hormonal. Com essa dica, dá para emagrecer em 20 dias sem perder a saúde. “Tive pacientes que já perderam 10kg. Em geral, a média segura de emagrecimento fica em torno de 6kg, principalmente entre as mulheres, que possuem períodos de alteração hormonal como a TPM”, salienta a nutricionista.

Por que a gente engorda

– Quando você ingere carboidratos (presentes em doces e massas, por exemplo), eles são digeridos e lançados na circulação como glicose;

– A glicose faz com que o corpo libere insulina, que faz com que a glicose seja utilizada como energia pelo corpo ou ser armazenada na forma de glicogênio nos músculos para depois ser utilizado.

– Se os carboidratos são lançados em excesso e muito rapidamente na corrente sanguínea, isso leva à liberação de bastante insulina pelo corpo.

– Quando os níveis de insulina ficam muito altos, os carboidratos são armazenados em forma de gordura, o que causa o aumento de peso e os temidos pneuzinhos.

Alimentos que secam gordura

Sementes de abóbora, amêndoas e nozes: são ricas em magnésio, mineral que atua nas enzimas envolvidas no metabolismo dos carboidratos, regulando a utilização da glicose no organismo.

Cereais integrais, brócolis e espinafre: ricos em cromo, importante mineral que atua na manutenção normal do metabolismo do carboidrato e gorduras, regula o apetite (principalmente por doces) e leva a uma redução da massa gorda e aumento da massa magra do corpo.

Canela: além de sua ação antioxidante, possui efeito regulador da insulina.

Batata yacon: rica em água, sua fonte de energia são os frutoligossacarídeos (FOS) em maiores quantidades de que o amido, o que reduz os níveis de glicose sanguínea, auxilia na perda de peso e reduz a circunferência abdominal.

Cardápio para 5 dias

Dieta moduladora


Potencialize o efeito da dieta praticando atividade física aeróbica pelo menos 3 vezes por semana.


Consultoria: Lais Dreer, nutricionista da Clínica da Mulher e da família. Fone: (11) 2875-5600.


Tags: ,