Culinária japonesa: aprenda mais com cursos online sobre o tema!

Com o aumento da procura, muitos cursos apareceram na internet e estão disponíveis para quem quer aprender a cozinhar refeições da culinária japonesa.

sushi, culinária japonesa
FOTO: Vinicius Tupinamba/Shutterstock

Entre os interessados em aprimorar técnicas de gastronomia, há aqueles que sonham trabalhar no ramo e abrir seu próprio negócio, mas há também quem se dedique ao segmento por prazer, por hobby. Independente do objetivo principal do aluno, a realidade é que a procura por cursos de gastronomia disparou nos últimos anos. Com isso, muitos cursos apareceram na internet, e estão disponíveis para quem quer aprender a cozinhar, por exemplo, refeições da culinária japonesa. Confira alguns cursos sobre o tema:

sushi, culinária japonesa

FOTO: Vinicius Tupinamba/Shutterstock

Culinária Japonesa

Site: http://cursosonline.uol.com.br/fit/online-culinaria-japonesa.aspx

Carga horária: 8 horas.

Como funciona: O curso é dividido em três unidades. A primeira trata das histórias, costumes e tradições da culinária japonesa. A segunda apresenta fundamentos da cozinha oriental voltada para pratos frios. O último módulo trata sobre pratos quentes. O conteúdo inclui ainda receitas e técnicas de preparação. O curso é pago.

Sushiman Básico

Site: http://www.primecursos.com.br/sushiman-basico/

Carga horária: 40 horas.

Como funciona: A culinária oriental está cada dia mais popular. Contudo, por exigir técnicas diferentes de preparo, muita gente ainda pensa que requer alto grau de especialização gastronômica. O curso de sushiman básico oferecido pela Prime Cursos prova que basta um pouco de estudo e conhecimento para ingressar neste mundo. O conteúdo do curso abrange de regras de etiqueta japonesa a técnicas de preparo de peixes, frutos do mar, arroz e de diversos pratos como temaki, tempurá, yakissoba, entre outros. A arte de usar hashis e a forma correta de servir cada prato também não ficam de fora. Para se matricular o aluno deve fazer inscrição no site. O certificado é opcional e pode ser enviado mediante pagamento de taxa.

LEIA TAMBÉM

Texto: Redação Edição: Angelo Matilha Cherubini