Aprenda violão e teclado básico com cursos gratuitos pela internet!

Com a internet, ficou fácil aprender diferentes instrumentos de forma gratuita. Confira os cursos de teclado e violão que a Alto Astral separou para você:

homem, tocando violão, amarelo
FOTO: Freepik

Com a internet, ficou fácil aprender diferentes instrumentos, tudo online e de forma gratuita. Confira os cursos de teclado e violão que a Alto Astral separou para você:

Violão para iniciantes

Site: http://www.cursou.com.br/musicas/curso-de-violao-online-iniciantes/

Carga horária: 3 horas.

Como funciona: Desenvolvido pelo professor Cezar Romero, o curso é totalmente grátis e online. Dividido em 16 lições, tem como conteúdo técnicas de ritmo, pestanas, partes e peças do violão, os 12 acordes maiores, como ler tablaturas, entre outras. As aulas são 100% em vídeo. O curso não oferece certificado.

homem, tocando violão, amarelo

FOTO: Freepik

Teclado básico

Site: http://www.iped.com.br/musica-e-instrumentos/curso/teclado-basico

Carga horária: 20 horas.

Como funciona: Os interessados podem optar por duas categorias diferentes de curso. A categoria gratuita tem carga horária de 20 horas e oferece conteúdo interativo e certificado digital. Há ainda opção pelo plano Plus, que é pago e oferece benefícios exclusivos, como mais horas aula e acompanhamento pedagógico. O conteúdo do site abrange da iniciação musical às técnicas do instrumento, como escalas e acordes, sincronia das mãos, tecnologia do instrumento, entre outros.

Teoria Musical

Site: http://musicalcursos.com/home/teoria-musical/3-curso-de-teoria-musical

Carga horária: 30 dias.

Como funciona: O curso apresenta as propriedades e duração do som, as notas, pentagrama, claves, entre outras técnicas. Para participar, o aluno deve fazer cadastro no site e inscrição no curso. Após completar todas as lições, que envolvem teoria e exercícios práticos, é possível realizar uma avaliação e solicitar certificado. Vale lembrar que os certificados só serão emitidos para alunos que alcançarem no mínimo 60% de aproveitamento.

LEIA TAMBÉM

Texto: Redação Edição: Angelo Matilha Cherubini