Culinária: confira quais são os pratos favoritos de cada país!

Cada país tem a sua culinária tipica, porém nem sempre elas são saudáveis, mesmo que sejam populares. Confira as vantagens da culinária de alguns países!

bandeira do Brasil
Foto Istock.com/getty images

As culinárias nacionais oferecem não só sabores inesquecíveis, mas também ingredientes importantes para manter o bom funcionamento do organismo. Afinal, a busca por uma melhor qualidade de vida é universal.  Conheça algumas delas e aproveite tudo o que têm de melhor!

 

bandeira do Brasil

Foto Istock.com/getty images

 

Brasil

“Essa culinária é uma das mais ricas devido às diferenças regionais. Além disso, temos a mistura das culturas indígenas, portuguesas e africana, que deixaram como herança uma gastronomia riquíssima”, diz a nutricionista Luana Vasconcelos.

Churrasco: é composto por uma variedade de carnes, mas a bovina é a predominante. “As proteínas são os seus principais nutrientes e são responsáveis pela construção e conservação do nosso corpo” conta Luana Vasconcelos. Outros nutrientes também encontrados neste alimento são: vitaminas do complexo B, que melhoram o humor e a concentração. Porém, é preciso atentar-se à quantidade de gordura presente neste prato.

Arroz com feijão: essenciais na culinária brasileira, esses dois alimentos completam-se nutricionalmente, formando uma combinação perfeita. Os grãos de arroz contêm metionina, e os feijões, lisina, aminoácidos que formam as proteínas responsáveis pela reparação de tecidos do organismo.

Feijoada: nove entre dez brasileiros adoram este típico prato, que tem como ingredientes o feijão preto, carnes (a maioria de porco) e embutidos, e escondem muitas calorias (1 porção de 300g tem 456kcal). Além de calórico, este prato é rico em proteínas e gorduras, por isso, o seu consumo deve ser moderado.

Portugal

Bacalhau com natas: o bacalhau contém proteínas, é rico em vitaminas do complexo B, responsáveis por reduzirem os níveis de homocisteína, substância que aumenta o risco de doenças cardiovasculares, fósforo e iodo, que mantém a tireoide saudável. Porém, este prato peca pelo excesso de gorduras, explica a nutricionista Sara Fernandes. “O excesso de lacticínios como manteiga, leite e natas, gorduras de origem animal, são de difícil digestão. Além disso, esse prato sofre com a ausência de vegetais e de fibras, importantes para o corpo”, afirma.

Arroz de polvo: esse prato oferece um equilíbrio entre proteínas, presentes no polvo, e os carboidratos, no arroz. Também é rico em fibras de qualidade, presentes na couve, cenoura e nabos, e o azeite, uma gordura benéfica para o organismo.

Japão

Peixe: largamente utilizado na culinária japonesa é a melhor fonte animal de ômega-3, um ácido graxo essencial (gordura boa) para o organismo, que melhora a ação da insulina. Também tem ação anti-inflamatória, ajuda na formação do cérebro e melhora a memória.

 

banda da Itália

Foto Istock.com/getty images

 

Itália

Massa: diferente do que muita gente pensa, o que mais contribui para o aumento de peso nos pratos da cozinha italiana não são as massas (quando consumidas em uma quantidade adequada), mas os molhos e a falta de complementos saudáveis. “O esparguete puro é boa fonte de energia por ser composto por carboidratos, e quando consumido na forma integral, traz benefícios em quantidade de nutrientes, saciedade e regularização da absorção do açúcar que chega no nosso sangue”, revela Luana. Porém, os molhos, repletos de queijos, natas, manteiga e leite possuem muita gordura e tornam o prato calórico e desequilibrado pela falta de vegetais e de proteína magra.

 

Leia também:

 

China

Yakissoba: preparado com massa, vegetais e carne, este prato pode chegar até 500kcal. Mas, consumido com moderação, tem ingredientes importantes para a saúde, como o brócolis, que protege contra o câncer, e é rico em cálcio, importante para a formação óssea, e fibras, que auxiliam o intestino a ficar bem regulado.

Moyashi: o broto de feijão, além de saboroso, é rico em fibras e com baixo teor calórico. Possui nutrientes como cálcio, ferro (para a defesa imunológica, melhor concentração e resistência física) e vitaminas do complexo B, que evitam a depressão, irritabilidade, diminuição de memória, fraqueza e fadiga muscular, ajuda no bom funcionamento do intestino e na boa digestão.