Conto erótico: uma deliciosa transa na redação do jornal (18+)

Uma jornalista se encanta pelo fotógrafo que acaba de chegar ao jornal. Descubra como foi a surpreendente transa na redação que eles tiveram!

Por Rafael Toledo - 14/03/2017
mulher por cima do homem com lingerie em preto e branco transa na redação

Foto: Shutterstock Images

Acompanhe abaixo o relato da autora que aproveitou o fim do expediente para uma deliciosa transa na redação, onde ela e o fotógrafo, o qual a encantou, trabalham.

“Desde o começo da minha carreira como jornalista, eu escrevo para colunas sobre sexo. Na prática, eu não costumava testar tudo que abordo nos meus textos. Porém, isso mudou a partir do dia que eu conheci o fotógrafo que faz serviços esporádicos no jornal para o qual eu trabalho. Adianto que a troca de olhares nos levou a concretização de uma maravilhosa transa na redação.

Não conhecia o famoso fotógrafo que havia sido contratado para um especial sobre guerras, uma vez que ele estava até o momento no exterior. Pensar naquele homem de cabelos longos cobrindo momentos de tensão com toda frieza que exigia a profissão fizera com que eu me sentisse instigada a falar com ele. Seu conhecimento deveria ser vasto e me excitava imaginá-lo falando sobre suas experiências.

Sua voz rouca ecoou dentro da redação, enquanto eu escrevia mais um dos meus conselhos sobre sexo. Não consegui me concentrar com aquela euforia. Decidi ir até ele para me apresentar e saber mais sobre suas aventuras com a fotografia. Quando nos cumprimentos, foi notável a tensão presente no ambiente. Aquele olhar dele indicando malícia só me fez pensar no quão excitante seria se nos conhecêssemos em um ambiente mais íntimo. Para isso, eu o convidei para um café.

Tomando conhecimento sobre sua vida durante nossa conversa, eu pude notar que sua inteligência junto com seu corpo definido pelos exercícios físicos diários necessários à apuração de informações de maneira mais intensa devido aos conflitos em um ambiente de guerra, formavam o conjunto perfeito. Ele revelou a mim que eu não era totalmente desconhecida. Sua curiosidade ao meu respeito já o tinha levado a comprar exemplares do jornal para ler mais sobre aquilo que definiu como “textos sacanas”.

Nossa conversa se estendeu por mais de meia hora, visto que meu expediente já havia terminado. Devido a uma comemoração na empresa, toda a equipe acabou se concentrando na área de convivência. Decidimos então ir a um lugar mais reservado e, como conhecia muito bem aquele jornal, sugeri que fôssemos até a sala na qual ficavam arquivadas edições anteriores da publicação. Lá seria o lugar perfeito para uma conversa mais íntima.

mulher por cima do homem com lingerie em preto e branco transa na redação

Foto: Shutterstock Images

Quando chegamos lá, ele falou mais alguma frase que não pude ouvir muito bem e aproximou seus lábios dos meus. Não pude negá-lo sabendo que minha admiração já vinha de algum tempo por acompanhar suas matérias. E, durante a conversa, ele confirmou que já havia tido interesse em me conhecer em outras ocasiões. Isso, para mim, já denotava uma deliciosa transa na redação.

Começamos a nos beijar ardentemente. Seu corpo estava completamente entrelaçado ao meu. Ele me apoiou nas prateleiras onde estavam os jornais e, logo, já desabotoou minha camisa. Eu, com as mãos agarradas àqueles cabelos, senti sua barba passar pelo meu peito, descendo seu rosto até minha barriga. Sabia sua intenção e não me decepcionei com a expectativa.

Assim como imaginei, o sexo oral que ele produziu foi maravilhoso. Lentamente, ele acariciou minha vagina enquanto passava seus lábios por ela. Eu não resisti e me movi em direção às suas calças que arranquei em segundos. Peguei no seu membro a fim de insinuar que queria ser penetrada. O desejo foi atendido. Ele me posicionou em cima de uma copiadora, a qual foi acionada devido aos nossos movimentos e denunciaria a nossa transa na redação se eu esquecesse as provas lá.

Usei todo o meu repertório para variar em posições com aquele homem maravilhoso. Já de quatro, apoiada na máquina, senti o orgasmo se aproximando e, no fim, gozamos juntos. Nossos gemidos só intensificaram aquele momento. Abraçados e nos acariciando, passamos a olhar cópias tiradas, que estavam tão excitantes quanto o próprio sexo. Notei, portanto, que havia diversas vantagens na minha profissão, principalmente as que vinham após o expediente, em cima de uma copiadora.”

LEIA TAMBÉM