Conto erótico: a energia da juventude, uma surpresa agradável (+18)

Nesse conto erótico, a autora reencontra o irmão da sua amiga, 17 anos mais jovem do que ela, e tem uma noite memorável em uma festa!

Por Leonardo Guerino - 06/04/2017
Homem branco e de barba de terno e gravata se vestindo sem mostrar o rosto conto erótico

(Foto: Reprodução/flazingo_photos via Visual Hunt)

Não existe hora nem lugar certo para o sexo. Quando temos vontade, é quase impossível controlar o tesão. Confira agora um conto erótico que vai te provar que quando o desejo fala mais alto a razão vai embora!

A energia da juventude

“Sou loira, tenho 35 anos, faço academia todos os dias e tenho um corpo de fazer inveja às meninas de 25. Recentemente fui à formatura de uma amiga de infância, que aconteceu em uma cidade do interior de São Paulo. Chegando à festa, fui recebida por um jovem forte, de cabelos curtos e muito perfumado, que chamou a minha atenção na hora! Eu não o reconheci de imediato, mas se tratava do Gustavo, irmão da minha amiga, que, pelas minhas contas, deveria ter no máximo 18 anos. Ele me cumprimentou com um abraço forte, me levantou do chão e sussurrou no meu ouvido: -“Nossa Ana, você está mais linda do que nunca! Ainda lembro que você me pediu em namoro quando eu era mais novo! Será que a proposta ainda está de pé?”. Fiquei completamente arrepiada e cheia de vontade de agarrar aquele menino, mas, como estava um pouco sem graça com a situação, achei melhor encarar tudo como brincadeira, e continuei aproveitando a festa.

O que eu não sabia era que ele não estava de brincadeira e, às três da manhã, no auge do agito, ele me agarrou novamente. Parecia mais um conto erótico. A pouca resistência que eu esbocei foi vencida quando as mãos dele começaram a puxar levemente os meus cabelos enquanto me beijava. Era impressionante que um menino tão novo soubesse tão bem como segurar uma mulher! Ele me levou para um canto mais escuro do salão, e lá suas mãos começaram a percorrer meu corpo, com uma ousadia que eu não estava habituada a ver. Achei melhor ser mais discreta, e fomos para o meu carro, no estacionamento. Tenho um carro pequeno, mas isso não foi um problema para aquele menino delicioso… Com habilidade, levantou meu vestido e afastou minha calcinha, me penetrando com seus dedos ágeis e muito vigorosos. Eu estava louca e alisava seu mastro sobre a calça, assustada com o tamanho do que estava descobrindo. Cansada de bancar a comportada, resolvi me jogar de vez naquela transa louca! Tirei seu membro para fora da calça, louca de vontade de abocanhá-lo!

Homem branco se despindo de roupa social sem mostrar seu rosto conto erótico

(Foto: Reprodução/Freepik)

Porém, o Gustavo me impediu, dizendo que ele é quem iria me dar prazer naquela noite! Depois de beijar meus seios e minha barriga, começou a beijar minha gruta com muita voracidade… Eu estava completamente louca, encharcada de prazer e com as pernas amolecidas. Atingi o orgasmo duas ou três vezes, antes mesmo dele me possuir. Aproveitando que o carro estava em um lugar mais isolado, saímos do aperto e passamos a rolar sobre o capô! Ele me colocou de costas e me penetrou com vontade! Eu gemia alto, sem me importar com a chance de estar sendo ouvida… Era um tesão incrível, eu nunca havia sentido nada como aquilo… Transamos até o sol nascer. Depois daquele dia, nunca mais nos vimos. Uma pena, daria um belo de um conto erótico. Mas, pelo menos, a lembrança ficou na minha cabeça para sempre!”.

LEIA TAMBÉM

Texto: Redação Alto Astral| Edição: Leonardo Guerino