Compulsão alimentar pode ser doença

Há quem exagere nas refeições e coma até sem estar com fome. Fique atenta, pois essa compulsão alimentar pode ser um sinal de problemas psiquiátricos!

mulher ataca geladeira: isso é sinal de compulsão alimentar
FOTO: Shutterstock.com

Compulsão alimentar, além de ser um descontrole impulsivo, não mexe apenas com a silhueta, mas com a saúde em geral, já que pode levar a problemas cardíacos e metabólicos, como o diabetes e a hipertensão, que colocam a vida em risco. Além disso, em casos mais graves, ele pode estar relacionado a problemas psiquiátricos, como o transtorno bipolar.

mulher ataca geladeira: isso é sinal de compulsão alimentar

FOTO: Shutterstock.com

Comer gera alegria e bem-estar

Segundo Diego Tavares, psiquiatra, o nosso cérebro possui um sistema de recompensa e alguns alimentos, principalmente os carboidratos, os açúcares e gorduras, liberam enzimas que causam bem-estar. Em pessoas com propensão a transtornos mentais, a compulsão pode ser causada justamente pela busca incessante do cérebro por essas “recompensas”. Segundo o psiquiatra, “a pessoa fica viciada em açúcar como se vicia em drogas, por exemplo. É preciso fazer um tratamento para reequilibrar a química cerebral”, conta o psiquiatra.

SAIBA MAIS:

Saiba o que é o transtorno bipolar

5 passos para mudar os hábitos e emagrecer de vez!

Hormônios que regulam a fome

De acordo com o especialista, a fome é regulada por um hormônio chamado grelina, que sinaliza para o hipotálamo, região do cérebro responsável por programar o circuito cerebral da fome, de que é hora de se alimentar. “Uma combinação de líquidos, cafeína, vitaminas e carboidratos compõe a quantidade ideal de energia que os neurônios precisam para funcionar adequadamente. É nessa região cerebral que o apetite é regulado. Ali, os níveis sanguíneos de glicose e insulina e os hormônios grelina e leptina são monitorados para avaliar se o organismo tem calorias e nutrientes suficientes para funcionar ou não”, afirma.

Compulsão pode ser sinal de bipolaridade

O médico explica que a compulsão alimentar pode ser um problema ainda mais grave, principalmente quando a avaliação é restrita apenas à impulsividade alimentar. Isso porque pode existir um descontrole em várias outras áreas da vida que desregula o humor e os impulsos, como o transtorno bipolar. “O descontrole ocorre em áreas do cérebro que são responsáveis por cada um dos nossos atos e, como potencializam o impulso por comida, enfraquecem os centros da saciedade e faz a pessoa comer descontroladamente”, afirma.

Solução contra compulsão alimentar

Tratar a compulsão alimentar é possível sem necessariamente deixar de comer. “É preciso converter a vontade absurda de comer em amor próprio. Tem que gostar de si para poder controlar o apetite. Além disso, a ingestão de frutas, verduras e legumes ajuda a aumentar a saciedade e fazer o cérebro achar que está comendo mais, quando, na verdade, está ingerindo menos calorias”, ensina o médico. Se você perceber algum sinal do problema, procure um médico especializado que poderá fazer o diagnóstico correto e indicar a melhor forma de tratamento.