Compulsão alimentar: sentimentos são fortes influências nesse comportamento

Estresse, dietas restritivas, baixo autoestima e problemas emocionais são alguns fatores que podem desencadear a compulsão alimentar

mulher no escuro assaltando a geladeira
Foto: iStock

O problema é caracterizado como uma doença mental, em que a pessoa sente a necessidade de comer em demasia, mesmo não estando com fome. O portador também não deixa de se alimentar, mesmo já estando satisfeito. “O indivíduo consome alimentos em excesso, muito acima da necessidade dele. Porém, não faz a expurgação, comum à bulimia”, esclarece a psicóloga Karina Rodrigues. Descontar as emoções na comida é uma péssima ideia, já que uma série de complicações na saúde podem ser somadas a esse fator, como surgimento de diabetes, pressão alta e enfermidades cardíacas. Por isso, vale partir para uma avaliação clínica e buscar ajuda rapidamente”, destaca a psicóloga.

mulher no escuro assaltando a geladeira

Foto: iStock

Causas

Esse tipo de problema vem acompanhado, geralmente, de um trauma, uma perda ou até mesmo frustrações ligadas ao trabalho, amizades e relacionamento amoroso. Outros fatores também podem estar envolvidos. São eles:

  • Estresse: não saber lidar com a pressão do dia a dia pode ser um fator impulsionador do problema.
  • Dieta restrita demais: fazer uma dieta privada de vários nutrientes pode deixar a pessoa deprimida e com baixa autoestima. Isso pode impulsionar uma futura compulsão alimentar.
  • De mal com o espelho: pessoas que não estão de bem com o próprio corpo têm mais possibilidades de desenvolverem o problema.
  • Problemas emocionais: sem dúvidas, esse é um dos fatores determinantes para desenvolver o distúrbio. A perda de um ente querido e a depressão, por exemplo, facilitam o desenvolvimento da compulsão alimentar.

Sintomas

Para desconfiar do problema, alguns sinais devem ser observados:

  • Comer rápido demais
  • Sentir-se mal durante a refeição e, mesmo assim, não parar de comer
  • Comer sozinho ou em segredo
  • Sentir-se culpado por comer demais

LEIA TAMBÉM:

Texto: Redação Alto Astral

Consultoria:  Karina Rodrigues, psicóloga