Felicidade na pandemia pode ser alcançada com práticas simples

Como as relações pessoais podem influenciar sua felicidade durante a pandemia

Os vínculos que construímos ao longo da vida são parte importante da nossa construção e influenciam a alegria diária

felicidade na pandemia
Foto: Shutterstock

Existem coisas na vida que não são palpáveis. Surgem em nossa mente por meio das recordações. É assim quando refletimos sobre os prazeres, principalmente em relação a felicidade na pandemia. Não é à toa que costumamos mensurar o nível de satisfação em relação à nossa existência pela quantidade de boas lembranças que possuímos.

Algumas mais vívidas não demoram em se manifestar presentes e coloridas. E, geralmente, elas não são coisas materiais que construímos, nem mesmo grandes cargos que conquistamos, e, sim, momentos de alegria partilhados com outras pessoas, sejam eles amigos, família ou parceiros.

Em um exercício singelo, fechando os olhos por poucos segundos, a imagem de um abraço, de boas gargalhadas em grupo, de um olhar afetuoso, das mãos entrelaçadas, de um beijo, da conexão do corpo e da mente na hora de um encontro maior, surgem à mente rapidamente, nos fazendo suspirar, nos enchendo de humanidade.

Relações como bem-estar

A vida é feita a partir dos relacionamentos, e quanto maior a excelência nesse quesito, maior é a satisfação do indivíduo em relação a sua própria experiência de vida. Essa foi a conclusão de uma longa pesquisa efetuada pela Universidade de Harvard que acompanhou a vida de 724 homens, durante cerca de sete décadas, e que concluiu que os participantes que nutriram e cultivaram boas relações durante a vida, envelheceram mais felizes e saudáveis. A pesquisa também revelou que no tocante aos relacionamentos, o que vale mesmo é a qualidade e não a quantidade de relações.

Nessa hora, aquelas relações de amizade, que dizemos ser “à prova de fogo”, são na verdade as relações que trazem segurança e conforto, e que protegem quanto ao envelhecimento. As ligações sociais são boas para o homem, protegendo o corpo e o cérebro do indivíduo. Viver em um universo de conflitos entre pessoas é prejudicial à saúde humana e afeta todas as áreas da vida, principalmente a felicidade na pandemia.

Quando vivenciamos um relacionamento conturbado com o nosso parceiro ou parceira, quando não conseguimos nos entender com o nosso chefe ou colaboradores, quando não temos êxito em nos comunicar, quando estamos repletos de sentimentos limitantes, como a raiva, a culpa, o medo ou a tristeza por conta de um vínculo, os campos pessoais, como o trabalho, a saúde, o sexo e o lazer são afetadas também.

Tecnologia unindo pessoas

A arte da comunicação, do relacionar-se com o outro, é uma das habilidades mais poderosas desenvolvida pelos seres humanos. A boa notícia é que muitas áreas do desenvolvimento, nas últimas décadas, criaram ferramentas e recursos que podem ajudar qualquer pessoa que tenha como intenção se relacionar melhor com outros indivíduos, mesmo que de longe.

Meios que elevam o padrão das ligações introduzindo tecnologias que auxiliam no diálogo, nas linguagens interna e externa, na escuta, nos estados emocionais, no poder da criação de empatia e na percepção da realidade em relação a si e ao outro.

As relações duram a vida toda, é um exercício longo e diário, não é efêmero, não tem apelos instantâneos como os do consumo ou dos pequenos prazeres que o dinheiro pode oferecer. No entanto, é no ciclo das relações que criamos, que estão guardadas as nossas mais preciosas joias, aquelas que quando fechamos os olhos num instante, em qualquer etapa de nossa jornada, surgem fortes e reluzentes nos dizendo da vitalidade da vida, da força do amor.

A felicidade na pandemia

É fato que a quebra da rotina atingiu milhões de pessoas no mundo todo. A pandemia afastou pessoas e adiou a realização de alguns sonhos. Momentos que traziam felicidade, seja um almoço de domingo em família, os encontros com o namorado, o happy hour com os amigos, uma ida ao shopping para comprar uma roupa. Isso sem contar o simples ato de ir e vir, de frequentar festas, bares, parques e casas de colegas.

Com o isolamento, perdeu-se aquilo que trazia felicidade fora de casa e do trabalho. Até as atitudes mais triviais e que faziam a diferença nos finais de semana se perderam, como chegar cansada e se jogar no sofá ou cozinhar um prato diferente para um jantar de sábado. O quarto, que era um local de descanso, se tornou o novo escritório. O limite entre o pessoal e o profissional se perdeu. Então, como fica a felicidade na pandemia?

Crie uma rotina

Acorde, faça suas atividades diárias, tenha horário para almoçar e jantar, separe um tempo para praticar algum exercício e, claro, lazer.

Saia do virtual

Deixe o celular e o computador de lado por uma hora. Isso já fará uma grande diferença no seu dia a dia, uma vez que esse é o meio que você mais tem acessado para se comunicar com o mundo externo.

Tenha horário para acordar e dormir

Pode ser uma tarefa difícil, já que está em casa. Mas, faça o teste por uma semana, isso será suficiente para entender que ficará mais disposta a viver cada momento.

Pratique atividades físicas

Não é porque as academias e os parques estão fechados que você pode usar a desculpa para não se exercitar. Existem diversos treinos que podem ser praticados dentro de casa, sem qualquer equipamento ou usando artigos do cotidiano, como vassoura e cadeira.

Lazer

Gaste o tempo que quiser com coisas que te fazem bem. Não se sinta culpada por ficar horas lendo um livro, assistindo TV, maratonando uma série ou apenas olhando o teto do quarto.

Auto-compaixão

Está tudo bem em não encontrar felicidade na quarentena. É compreensível, já que a situação não está nada legal. Mas, se apegar a momentos e pensamentos positivos sobre coisas banais pode ajudar.

Agradeça

Esse simples ato te fará bem melhor. Pense em tudo que tem, na sua vida, no fato de estar viva e jogue essa energia para o universo.

Ajudar o próximo

Seja financeiramente ou com atitudes simples do dia a dia. A solidariedade preenche aquele espaço que só pode ser ocupado quando fazemos bem a alguém e não apenas a nós.

Mantenha contato com os amigos

Isso é extremamente importante. Mesmo que isso faça com que você fique mais tempo na frente do computador ou celular. Essa é a base de toda a sua felicidade: relações.

Leia também:

Texto: Hilda Medeiros, coach e terapeuta, e Vítor Ferreira.