Você sabe como surgem as doenças emocionais? Confira

Sentimentos são capazes de reger as ações humanas. É, inclusive, através das emoções, que determinadas situações podem se transformar em transtornos psíquicos

Entenda como surgem as doenças emocionais.
Entenda como surgem as doenças emocionais. FOTO: iStock e Getty Images

Assim como na animação Divertidamente (Pixar), em que cinco emoções – alegria, tristeza, raiva, medo e nojo – são retratadas como personagens, conduzindo a vida de uma garota chamada Riley, os sentimentos são capazes de reger as ações humanas. É, inclusive, através das emoções, que determinadas situações – como acidentes ou episódios de difícil superação – ficam marcadas na mente como traumas, que podem se transformar em doenças psíquicas. Elas são alterações de comportamento – e na forma como os pacientes se sentem em relação a si e aos outros – que ocorrem como resultado de sua história de vida e da forma como encararam cada circunstância e também podem explicar como surgem as doenças emocionais.

“Doenças emocionais são caracterizadas pelo ‘exagero’ de certos sentimentos. Todos temos medos, mas, quando patológico, torna-se fobia. Todos gostamos de comer, mas o exagero é chamado de desmesura (compulsão)”, exemplifica o psicanalista Cristian Boragan. E, seja pelo fato de muitos acreditarem que esse tipo de patologia é apenas “frescura” ou até mesmo por falta de conhecimento sobre o assunto, quem sofre de alguma das doenças emocionais – como depressão, síndrome do pânico e transtorno obsessivo compulsivo (TOC) – está sujeito à incompreensão alheia.

“Creio que isso se deve ao fato de uma doença emocional ser interna e “invisível”, afirma Cristian. De acordo com a psicóloga e psicanalista Araceli Albino, esse preconceito pode agravar o quadro dos pacientes e impedir o acesso ao tratamento. “A discriminação impacta diretamente na recuperação”, completa.

Mente em dia!

Entenda como surgem as doenças emocionais e como elas podem influenciar sua saúde física: “Já existem diversas pesquisas que comprovam que o cérebro está diretamente ligado ao sistema imunológico e ao bom – ou mau – funcionamento do organismo, e como emoções negativas não reconhecidas e assimiladas podem impactar na qualidade de vida e até na saúde de um indivíduo”, alerta a especialista em inteligência emocional Semadar Marques.

mulher rosto tampado tristeza depressao

Por não ser visível aos olhos, muitas pessoas consideram as doenças da mente “frescura”. FOTO: Shutterstock

Por isso, tentar lidar com situações difíceis ou desafios de forma positiva ou procurar uma ajuda especializada colabora para que complicações do cotidiano não se tornem doenças. É o que recomenda o psiquiatra e psicanalista Bernard Miodownik: “Procurar ajuda especializada mesmo para problemas leves – que, aliás, podem ser apenas aparentemente leves -, antes que venham a se tornar situações mais graves, é o melhor caminho”.

Como surgem as doenças emocionais?

Reconhecer quando determinado sentimento se transformou em patologia pode ser uma tarefa árdua. Isso porque essa diferenciação ocorre basicamente pela intensidade dos sintomas e pelo período que perduram. “Existem dois pontos cruciais que ajudam facilmente no diagnóstico: o tempo dos sintomas e se prejudicam de alguma forma a performance do indivíduo em tarefas simples do dia a dia”, afirma a psicóloga Elaine Lopes.

Ou seja, uma pessoa que perdeu um ente querido ou um emprego, por exemplo, estará passando por um momento ruim. O problema, porém, começa a surgir quando o sentimento torna-se crônico – de longa duração -, também chamado de melancolia. “Ela acontece sem motivo aparente. A pessoa pode ter sido promovida, acabado de se casar, tido um filho ou realizado um grande sonho, mas percebe que aquilo não traz prazer algum”, pontua Cristian.

 

Texto Redação Alto Astral | Consultoria: Araceli Albino, psicóloga e psicanalista; Bernard Miodownik, psiquiatra e psicanalista; Cristian Boragan, psicanalista; Elaine Lopes, psicóloga; Semadar Marques, especialista em inteligência emocional

 

LEIA TAMBÉM: