Entenda como seus hábitos influenciam na concentração!

A habilidade de se concentrar pode ser prejudicada por episódios de estresse e má alimentação. Entenda como seus hábitos influenciam na concentração!

mulher sentada em um sofá utilizando o notebook
Foto: peoplecreations/Freepik

A habilidade de se concentrar pode ser prejudicada por episódios de estresse e maus hábitos, como alimentação desregulada e pobre em nutrientes, noites de sono mal dormidas e a ingestão de bebidas alcoólicas, por exemplo. “Indivíduos submetidos a uma rotina de vida estressante, que não praticam atividade física, não dormem direito e alimentam-se de forma não balanceada estão mais propensos a serem dispersos”, aponta o  especialista em aprendizagem acelerada Victor Ribeiro .

Por isso, desenvolver bons hábitos e uma mente mais positiva, no sentido de programar sua forma de ver o mundo para sempre buscar o lado favorável das situações, é importante. Grande parte dessas atitudes são simples e podem ser colocadas em prática no dia a dia – saiba mais na página 20. A psicoterapia é uma ótima opção para uma melhor qualidade de vida. Ela atua, principalmente, nos momentos de estresse – que dificultam a concentração, o foco e as metas no dia a dia e na vida de forma geral.

mulher sentada em um sofá utilizando o notebook

Foto: peoplecreations/Freepik

Tecnologia

Um estudo realizado pela Microsoft no ano de 2000 e depois em 2013 apontou que, no primeiro ano, a média de atenção era de 12 segundos. Em 2013, esse número caiu para 8 segundos, mais ou menos a mesma capacidade estimada para um peixinho dourado.

A pesquisa foi realizada no Canadá e envolveu duas mil pessoas que responderam a perguntas e participaram de jogos online para avaliar sua capacidade de concentração. Os voluntários que usavam dispositivos digitais além da média tendiam apresentar mais dificuldades para se concentrar em momentos em que a atenção era mais exigida.

A conclusão desse estudo é que, por conta do alto uso da tecnologia, a capacidade de concentração dos humanos está sendo reduzida. A boa notícia dada pelos pesquisadores, no entanto, é que nossos cérebros podem estar se adaptando às novas tecnologias e uma capacidade de atenção mais curta pode ser um efeito colateral normal.

LEIA TAMBÉM

Texto: Jéssica Pirazza Edição: Angelo Matilha Cherubini

Consultoria: Especialista em aprendizagem acelerada Victor Ribeiro