Você sabe como evitar cólicas em bebês? Confira 7 dicas!

O problema ainda não tem explicações científicas, mas pode ser evitado com algumas práticas

cólica no bebê
Por Victória Carvalho - 08/11/2018

A cólica em recém-nascidos é uma condição transitória que não traz riscos ao bebê e nem interfere em seu desenvolvimento. | FOTO: Getty Premium Images

Na maioria das vezes, por que ainda não conseguem verbalizar suas dores, os bebês sinalizam que estão desconfortáveis com as cólicas por meio de um choro inconsolável, súbito e, aparentemente, inexplicável. Isso costuma acontecer, pelo menos, uma vez ao dia, no mesmo horário, mas o final da tarde e à noite são os períodos em que a criança mais demonstra sua insatisfação. Entenda melhor a cólica no bebê!

Possíveis explicações para cólica no bebê

Até o momento, as pesquisas sobre as causas da cólica em lactantes são inconclusivas, entretanto, algumas hipóteses têm sido associadas ao incômodo, como a imaturidade no sistema nervoso central do bebê, anormalidades na produção de hormônios gastrointestinais, alteração da motilidade intestinal – capacidade de mobilidade do intestino – e, até mesmo, fatores externos, como barulho, claridade e agitação.

Bebê branco chorando

Foto: Shutterstock.com

Dicas para evitar a cólica no bebê

“Por não se saber ao certo a causa da cólica em recém-nascidos, ainda não há um tratamento eficaz, porém, algumas orientações simples podem ajudar a trazer conforto nessa hora delicada”, explica Eduardo Brandina, pediatra do Hospital Edmundo Vasconcelos, que enumerou 7 dicas para aliviar o desconforto da criança. Confira:

  • manter-se tranquilo para transmitir calma ao bebê;
  • pegá-lo no colo;
  • deixar a barriga do pequeno em contato com a da mãe, a fim de transmitir calor e conforto;
  • manter o ambiente a meia luz e com música suave;
  • colocar compressas mornas na barriga;
  • fazer massagem circular;
  • dar banho morno.

Contraindicação: o colar de âmbar

O colar de âmbar é feito de uma resina vegetal que atuaria como analgésico e anti-inflamatório pela presença do ácido succínico, usado para melhorar as dores do lactante, mas ainda não existe nenhuma comprovação científica de sua eficácia. O seu uso é contraindicado pela Associação Brasileira de Odontopediatria, que não recomenda nenhum tipo de colar ou cordão em bebês e preocupa-se, também, com a possibilidade de a criança levar o objeto à boca.

Criança branca sendo examinada por médico

“Importante: o exame clínico é fundamental para descartar quaisquer outras razões para o choro da criança”, orienta Eduardo Brandina | FOTO: Shutterstock.com

O tratamento com medicamentos e outros métodos de controle da dor, como chás, só deve ser realizado sob orientação do pediatra. O leite materno tem a quantidade necessária de água, nutrientes e outras substâncias capazes de acalmar a criança, além de ser uma importante fonte de energia para crianças de seis a 23 meses e, por isso, é o alimento adequado para a saúde do bebê.

Consultoria: Eduardo Brandina, pediatra do Hospital Edmundo Vasconcelos

LEIA TAMBÉM: